Nota 10

Campanha ‘Vem pro Museu. Valorize, que é nosso!’ dobra visitações ao Sacaca em 2018

Foram contabilizadas 55,5 mil visitas este ano; ambientações do museu foram revitalizadas e novos espaços foram criados.

Compartilhe:
A campanha ‘Vem pro Museu. Valorize, que é nosso!’, lançada pelo Governo do Amapá, gerou 55,5 mil visitas ao Museu Sacaca, em 2018 – 25,9 mil a mais que as visitações registradas em 2017. A campanha foi lançada para estimular turistas e os próprios amapaenses a valorizarem e conhecerem a cultura dos povos da Amazônia, em especial, o modo de vida dos ribeirinhos. Os números foram divulgados nesta quinta-feira, 27, pelo Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Amapá (Iepa), que gerencia o espaço de 20 mil metros quadrados, no bairro do Trem, em Macapá.

“A campanha de valorização deu tão certo que passamos a receber um número considerável de alunos, graças ao trabalho de interlocução do Museu com as instituições de ensino. Inserir o conhecimento da nossa cultura nas escolas, é tão importante, quanto qualquer outra disciplina. A sociedade precisa conhecer a sua própria história”, enfatizou a diretora-presidente do Iepa, Marlene Souza.

Foram contabilizadas 215 escolas que agendaram visitas monitoradas totalizando 12.537 alunos que puderam conhecer os espaços e os costumes dos ribeirinhos. As visitas de escolas ao Sacaca foram inclusas na programação da campanha ‘Vem pro Museu. Valorize, que é nosso’, o que também contribuiu para o aumento do quantitativo de visitações.

Quem participou de formaturas, palestras, seminários e eventos sociais e culturais no auditório Waldemiro Gomes – espaço destinado para esses tipos de eventos – também teve a oportunidade de conhecer o lugar. Em 2018, o auditório recebeu 134 eventos. As visitas de rotina (terça a domingo) contabilizaram 42.987 pessoas, dando em média 3.500 visitantes por mês.

“Desde o início do ano, o Museu Sacaca passou por um processo de revitalização dentro de suas ambientações. Além da campanha de valorização, também foram criados outros espaços como o Memorial Sacaca e o Bosque do Açaí”, reforçou a diretora-presidente do Iepa.

Marlene Souza acrescentou que também foram fundamentais para o sucesso de visitações, os ensaios fotográficos, gravações de vídeos e diversas programações culturais que foram proporcionadas ao público. Para divulgar as programações, foi criado o site  www.museusacaca.ap.gov.br.

 

O museu

O Museu Sacaca foi criado com o objetivo de disseminar e valorizar a cultura dos povos da Amazônia, através de espaços que demonstram e representam suas relações com o meio natural, o modo de vida dos ribeirinhos, índios, caboclos e quilombolas. Sua estrutura física de 20 mil metros quadrados foi concebida para ser um espaço de histórias vivas, de forma a promover ações museológicas de pesquisa, preservação e comunicação, conservação do patrimônio global, desenvolvimento sustentável humano e do patrimônio cultural do Amapá.

Criado em 2018, como parte da campanha ‘Vem pro Museu. Valorize, que é nosso!’, o Memorial Sacaca foi uma homenagem a Raimundo dos Santos Souza, que dá nome ao museu desde 1999. Por meio deste espaço, o público pode acessar objetos e documentos que demonstram a atuação de Sacaca na cultura, no futebol, no convívio familiar, com amigos e também de seu trabalho como “doutor da floresta”. Dentre os objetos, está um pilão onde ele manuseava as ervas para fazer os remédios naturais. As peças nunca haviam sido retiradas da casa da família.

As visitas no final de ano continuam normalmente de terça a domingo, no horário de 9h às 17h, com entrada gratuita.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Um comentário em “Campanha ‘Vem pro Museu. Valorize, que é nosso!’ dobra visitações ao Sacaca em 2018”

  • Marcos Silva disse:

    Parece que tá faltando câmeras de monitoramento para se descobrir quem, de vez em quando, “passa a mão” nos pirarucus e tartarugas, pois quando lá voltei pra nova visita alguns tinham “desaparecido”….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *