Nota 10

Fé e devoção marcam Festividade de Nossa Senhora da Piedade em Mazagão Velho

Estado apoia a celebração garantindo a logística como estrutura de palco, som, iluminação e contratação de artistas para apresentações, para valorizar a cultura e a história da localidade.

Compartilhe:

O município de Mazagão, a 34 quilômetros de Macapá, é conhecido por sua história, cultura, potencial turístico e, principalmente, pela religiosidade de seu povo. Nesta quarta-feira, 11, a cidade mais uma vez tornou-se palco de atos de fé e devoção durante a cerimônia de Troca de Bandeiras, ápice da Festividade de Nossa Senhora da Piedade, uma celebração centenária que integra o calendário religioso do município. O evento atraiu centenas de fies à orla do Rio Mutuacá, no distrito de Mazagão Velho.

 

A homenagem a Nossa Senhora da Piedade acontece de 3 a 12 de julho e é realizada por um grupo com mais de 100 devotos. Nos primeiros dias de evento, a imagem da santa passa pelas localidades mazaganenses de Carvão e Ajudante e, também, pelo distrito de Igarapé do Lago, no município de Santana, até chegar à Vila de Mazagão Velho, onde acontece o ponto alto da festa. A celebração, que valoriza a cultura e a história do Amapá, recebe o apoio do governo do estado, através da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), Corpo de Bombeiros Militar (CBM/AP) e Polícia Militar (PM/AP), além da Prefeitura de Mazagão.

 

A festividade em homenagem a Nossa Senhora da Piedade antecipa a maior celebração religiosas do estado: a Festa de São Tiago que, em 2018, chega à sua 241ª edição. Ela também ocorre na Vila de Mazagão e dura quase uma quinzena no mês de julho.

 

Para garantir melhorias na estrutura da localidade, o Governo do Amapá firmou um convênio com a prefeitura contemplando a revitalização de locais como o balneário do Rio Mutuacá; o Barraco de São Tiago; o alojamento da Polícia Militar; a pintura da Igreja de Nossa Senhora de Assunção e limpeza do distrito. Os serviços são executados pela Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinf).

 

A celebração
A cerimônia de Troca de Bandeiras acontece no Rio Mutuacá e é um ato carregado de história e religiosidade. Como tradição, um grupo de foliões da localidade de Ajudante leva a imagem de Nossa Senhora da Piedade ao distrito, onde ela é recebida por uma comissão de fieis da própria região.

 

Cada integrante utiliza uma canoa para transportar os símbolos como uma bandeira. O ritual é marcado pelo encontro das duas comissões, que dão três voltas em meia lua no rio e, posteriormente, trocam de embarcação e de bandeira. Toda a cerimônia é acompanhada por batuques, cânticos religiosos e fogos de artifício. Às margens do rio, fiéis, moradores e turistas assistem e aplaudem a Troca de Bandeiras.

Com o fim do ritual, os dois grupos desembarcam com a imagem de Nossa Senhora da Piedade e, acompanhados do público, se dirigem à igreja matriz. No local, os foliões continuam a cantar e a rezar em devoção à santa, pedindo a ela proteção a Mazagão Velho e a seus moradores. O momento também é de homenagem às pessoas que se dedicaram por muitos anos à festividade.

 

Depois, os foliões seguem em procissão pelas ruas do distrito e a imagem é levada para a casa de um festeiro local. A festividade continua no dia seguinte – no caso, nesta quinta-feira, 12 – quando é celebrado o Dia de Nossa Senhora da Piedade com realização de leilões para arrecadar fundos e baile dançante.

O secretário de Estado da Cultura (Secult), Dilson Borges, disse que o governo do estado garantiu estrutura de palco, som, iluminação e contratação de artistas para apresentações nas quatro comunidades de Mazagão durante ao evento. “Todo esse apoio é para incentivar as tradições da nossa cultura”, fundamentou o gestor.

 

Valorização da história e da cultura de Mazagão
A comissão que realiza a Festividade de Nossa Senhora da Piedade inclui homens de diversas gerações para que a tradição continue, ano após ano. O lavrador Raimundo Ferreira Ramos, 74 anos, por exemplo, mora em Mazagão Velho e é um dos foliões mais antigos da festa.

Emocionado, Raimundo conta que há mais de 60 anos participa da celebração como um dos integrantes que percorre o Rio Mutuacá durante o ritual. Ele explica que cada ocupante da canoa tem uma responsabilidade: há os que remam; os que tocam os tambores e o que carrega a bandeira. O lavrador já desempenhou muitas dessas atividades e hoje é responsável por segurar um símbolo religioso que representa a cruz de Jesus Cristo.

“Essa tradição está na minha família, há muitos anos, e eu me sinto muito feliz e horando em, mais uma vez, poder participar deste ato de fé que é tão bonito e especial para o nosso povo”, disse o idoso. Os jovens mazaganenses ajudam a perpetuar a tradição local. Um deles é Diogerney Junior, 24 anos, que integra a comissão de Mazagão Velho desde a adolescência. Para ele, é fundamental que a Festividade de Nossa Senhora da Piedade continue sendo um momento especial. “Vejo essa participação como um compromisso para o fortalecimento de nossas tradições”, observou. Natural de Mazagão Novo, o professor de história, Renato Dalmácio, 55 anos, assiste a Troca de Bandeiras desde a infância. “Para mim, nossa cultura também é nossa história. Por isso acredito que celebrações como essas, reforçam nossa identidade. Me sinto muito orgulhoso em ser cidadão mazaganense e poder prestigiar momentos como este”, registrou Renato.

 

Andreza Teixeira
Fotos: Márcio Pinheiro/Secom

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *