Nota 10

Macapá em festa com seus 257 anos

O cruzamento das bandeiras do marabaixo dos bairros Laguinho e da Favela simboliza a histórica saída dos negros que moravam no centro de Macapá


Compartilhe:

 

A programação de aniversário de 257 anos de Macapá, que já iniciou no dia 1 de fevereiro, com várias atividades esportivas, continua hoje, no dia do aniversário. A programação começa às 8h, no CEU das Artes, com serviços de corte de cabelo, final do torneio esportivo (voleibol e futsal), contação de histórias, teatro, dança, circo e shows artísticos, e ainda as premiações dos vencedores dos torneios de voleibol e futsal. As atividades esportivas estão sendo executadas pela Coordenadoria Municipal de Esporte e Lazer (Comel).

Nesse mesmo dia, a festa ocorre também na Praça Floriano Peixoto, com pescaria, atividades culturais, ações sociais e feira de artesanato; no Trapiche Eliezer Levy acontecerá a semifinal da Copa dos Campeões do Futlama (masculino) e abertura da competição feminina; e no Mercado Central vai rolar samba a noite toda, a partir das 19h, com o projeto Samba no Mercado Central.

Programação Cultural – Em comemoração dos 257 anos de Macapá, a Confraria Tucuju, o Projeto Banzeiro do Brilho-de-fogo e grupos de marabaixo, preparam um festejo com orações e muito marabaixo, na frente da Igreja São José. A programação começa às 8h, com a Missa em Ação de Graças na antiga catedral, seguido do Encontro das Bandeiras, e depois sai o cortejo do Banzeiro do Brilho-de-Fogo, pelas ruas do centro da cidade até a praça Floriano Peixoto, onde estará acontecendo a pescaria, realizada pela Prefeitura de Macapá.

Missa em Ação de Graças – Às 8h as portas da Igreja São José estarão abertas para receber os fiéis com a celebração do padre Aldenor Bejamim, seguindo o ritual onde pioneiros entram carregando símbolos da cidade, como as bandeiras do estado do Amapá e do município de Macapá, a imagem do santo padroeiro e um cacho de bacaba. A cantora Juliele, o tenor Mauro Silva, o músico José Maria e a cantora Mayara confirmaram presença na entoação dos cânticos.
Encontro das Bandeiras – O cruzamento das bandeiras do marabaixo dos bairros Laguinho e da Favela simboliza a histórica saída dos negros que moravam no centro de Macapá, quando a cidade começou a se expandir e os prédios e residências oficiais foram construídos. Na época, em 1943, os primeiros moradores de Macapá foram povoar os dois bairros.

O Encontro das Bandeiras relembra a saída das famílias e marca o reencontro delas, tocando as caixas e cantando os ladrões de marabaixo, assim como saíram. Os grupos de marabaixo Berço do Marabaixo, Marabaixo do Laguinho, Artur Sacaca e Ancestrais confirmaram presença.

Cortejo do Banzeiro do Brilho-de-Fogo – Após o Encontro das Bandeiras, mais de 100 batuqueiros do Banzeiro do Brilho-de-Fogo, mulheres que formam o Cordão das Açucenas e as crianças do Jardim do Banzeiro, fazem um grande arrastão cultural pelas ruas, cantando e tocando músicas regionais, fazendo pequenas paradas na frente da casa de pioneiros, chamando todos para a praça Floriano Peixoto, onde estará acontecendo a pescaria, atendimento social e de saúde.

 
Compartilhe:

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *