Nota 10

Porque os passistas estão desaparecendo dos desfiles?

Vem de algum tempo que é meu desejo escrever alguma coisa sobre um segmento de escola de samba


Compartilhe:

 

Vem de algum tempo que é meu desejo escrever alguma coisa sobre um segmento de escola de samba que está cada vez mais esvaziado em nossas agremiações. Estou me referindo aos passistas, que na verdade é a essência do que de mais bonito uma escola de samba pode apresentar em termo de sambar.

Houve um tempo em que juntamente com a bateria e os sambas de enredo, os passistas eram os que se destacavam dentro de um desfile. Nas quadras a presença dos passistas, tanto masculinos como femininos, era reverenciada. Quando faziam suas apresentações abria-se a roda, pois ali estavam se apresentando os verdadeiros bambas do samba.

O tempo passou, e nas escolas de samba aqueles que eram astros viraram coadjuvantes, e em muitos casos até indesejados. Com a limitação do tempo dos desfiles e com as regras, a classe dos passistas foi cada vez mais perdendo espaço e as apresentações ficaram cada vez mais restritas. O espaço que era deles hoje é ocupado pelas “musas e musos” que desfilam entre alas e nas alegorias, apenas com a preocupação de posar para fotógrafos e mandar beijos para os amigos dos camarotes e arquibancadas.

Aos passistas, para não ficarem sem função, resta, nos dias de hoje, ficarem estrategicamente atrás do carro de som para cobrir eventuais buracos no segundo recuo da bateria ou foram banidos dos desfiles de escolas de samba.

Convenhamos que é muito pouco, para quem tem como matéria prima a nobre arte de sambar o samba no pé. Afinal estamos tratando de escolas de samba e é sempre bom lembrar isso.

 
Compartilhe:

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *