Nota 10

Programação cultural com apoio do GEA marca 47 anos do Banco da Amizade 

Celebração inclui queima de fogos, atrações culturais e homenagens a personalidades que fazem parte da história do ponto de encontro.

Compartilhe:

Tradicional ponto de encontro do bairro do Laguinho, em Macapá, o Banco da Amizade completa 47 anos de existência nesta quarta-feira, 26. Para celebrar a data, a Associação Banco da Amizade coordena, com o apoio do Governo do Estado do Amapá (GEA), uma celebração que visa reunir os amigos que ao longos dos anos passaram a integrar o grupo.

O evento oferece à comunidade uma programação gratuita, iniciada às 6h e que se estenderá até 0h. A celebração inclui queima de fogos e atrações culturais como apresentações de marabaixo, de escola de samba e homenagens a personalidades que fazem parte da história do ponto de encontro. Também foi distribuído ao público café da manhã e churrasco.

História

O Banco da Amizade foi construído em dezembro de 1971 na Rua General Rondon, entre as avenidas Padre Manoel da Nóbrega e José Antônio Siqueira. Ele foi fundado por dois antigos moradores do Laguinho: o curandeiro Raimundo dos Santos Souza, o Sacaca, e o eletricista Renato Américo, conhecido como Renato Rato, ambos já falecidos.

A iniciativa dos amigos teve a proposta de simbolizar a amizade existente entre moradores e ex-moradores do Laguinho – um dos bairros mais antigos de Macapá e que reúne elementos culturais importantes para a cultura amapaense como duas escolas de samba e a União dos Negros do Amapá (UNA).

O diretor da Associação Banco da Amizade, Renato Nery, é filho de Roberto Rato. Ele conta que a entidade reúne mais de 300 pessoas e, ao longo do ano, busca organizar eventos filantrópicos que atendem principalmente a comunidade do Laguinho.

“Todos os anos, celebramos o aniversário do banco. É uma forma de continuar a tradição, de valorizar a história deste ponto de encontro e também de reforçar os sentimentos de união, de amizade e de solidariedade”, disse o diretor.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *