Nota 10

Tradição: Marabaixo do Trabalhador e o encontro de gerações

Jovens e idosos se misturavam nas rodas de marabaixo, no barracão da Tia Gertrudes; extensa programação com fomento do governo segue até junho.

Compartilhe:

Uma programação diferenciada marcou o Ciclo do Marabaixo 2019, na noite de quarta-feira, 1º. O Marabaixo do Trabalhador agitou festeiros e visitantes, no barracão da Tia Gertrudes (Berço do Marabaixo), no bairro Santa Rita, em Macapá.

O rufar das caixas e o rodar das saias, chamava a atenção para o encontro de gerações. Cantadores, caixeiros (tocadores de caixa ou tambor) e dançadeiras jovens se misturavam a rostos mais velhos. Tudo regado a muito cozidão (caldo de carne) e gengibirra (bebida à base de gengibre), servidos gratuitamente pelos festeiros aos visitantes.


Entre as dançadeiras, estava Izabel Saturnino, 73 anos, filha caçula da saudosa Gertrudes Saturnino, que dá nome ao barracão. “Estamos aqui para manter essa nossa tradição. Até quando Deus permitir”, afirmou.

Segundo a representante do barracão, Valdinete Costa, essa programação específica existe há pelo menos dez anos e tem como proposta homenagear o trabalhador amapaense com a maior manifestação cultural amapaense.


“Trabalhadores e trabalhadoras amapaenses merecem essa homenagem. Foi tudo preparado com carinho e dedicação, para marcar uma data tão importante e especial como esta”, disse Valdinete.

A programação oficial do Ciclo do Marabaixo prossegue com oficinas de confecção de caixas na comunidade de Campina Grande, no sábado, 4; no domingo, 5, está programada a apresentação na Praça do Coco, pelo grupo Dica Congó. No dia 7, iniciam-se as ladainhas em louvor à Santíssima Trindade. E depois continua até 23 de junho.

Fomento

O Marabaixo foi reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em novembro de 2018. Para a realização do ciclo deste ano houve um investimento de R$ 130 mil, divididos igualmente entre os grupos realizadores.

Marcados pelo culto ao Divino Espírito Santo e à Santíssima Trindade, os festejos seguem até o chamado Domingo do Senhor, primeiro domingo após a celebração de Corpus Christi, este ano, no dia 23 de junho. Na extensa programação, ainda constam missas, ladainhas, retirada dos mastros pelos grupos, bailes e jantares, dentre outros rituais.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *