Polícia

Acusados de atropelar casal tem prisão preventiva decretada

Professor e cabeleireiro tiveram as prisões em flagrante convertidas em preventivas pela juíza Larissa Noronha, da Comarca de Santana.

Compartilhe:
Presos foram transferidos para o Iapen

A juíza Larissa Noronha Antunes, do Núcleo de Garantias da Comarca de Santana, município distante 17 quilômetros da capital, Macapá, converteu em preventiva a prisão em flagrante do cabeleireiro Elber Nunes Zacheu, de 28 anos, e do professor Johny de Souza Amoras, de 31 anos, que foram presos no final da madrugada de domingo (21) após terem atropelado o lutador de MMA Raulian Paiva Frazão, de 22 anos, e a namorada dele, Tieli Alves Medeiros, de 25 anos, que está internada em coma induzido no hospital de Santana.

 

A conversão ocorreu durante audiência de custódia nesta segunda-feira (22). Após a decisão da juíza, que considerou entre outros fatos a garantia da manutenção da ordem pública – já que o caso comoveu a sociedade – os dois homens foram encaminhados para exame de corpo delito na Polícia Técnico-Científica (Politec) e de lá seguiram para o Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen).

 

Os advogados de defesa afirmaram que estariam ingressando com habeas corpus para garantir que seus clientes respondam ao processo em liberdade. Em áudio gravado durante a audiência de custódia, Elber Zacheu afirma que não dirigia o veículo e que antes do acidente, ele havia sido agredido com duas tapas pelo lutador.

 

Zacheu alega na gravação que após a suposta agressão do lutador, ele e Johny saíram no carro, e que foram perseguidos por amigos de Raulian, e que no cruzamento acabou ocorrendo o acidente, e que não foi uma tentativa de homicídio.

 

O depoimento de Elber Zacheu, contradiz o que afirmou o lutador de MMA. Raulian declarou que ele e a namorada foram cercados por um grupo de homens que teriam assediado sua namorada, e que mesmo assim ele deixou o local de moto sem revidar.

 

A vítima relatou ainda que Elber e Johny seguiram o casal no carro, e que ao parar em um semáforo no Centro de Santana foram atropelados de forma violenta. Ambos foram arremessados da moto, mas o capacete de Tieli – que não estava afivelado – saiu e ela caiu de rosto no chão, ainda sendo arrastada por alguns metros pelo carro que levou a moto presa na frente por um quarteirão.

 

A Polícia Civil instaurou inquérito para apurar o caso e deverá intimar várias pessoas para esclarecer de fato o que houve naquela madrugada.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *