Polícia

Adolescente de 15 anos é executado com quatro tiros no bairro Perpétuo Socorro

Ainda não se sabe a motivação do crime, mas apesar do jovem não ter nenhuma passagem por ato infracional, polícia suspeita do envolvimento dele com o tráfico, porque com ele foi encontrada uma trouxinha de maconha.

Compartilhe:

O adolescente Auley Amaral Pantoja, de 15 anos de idade, foi executado no final da tarde deste sábado (25) na passagem Santa Marta, no bairro Perpétuo Socorro.

De acordo com populares, o rapaz caminhava pela rua e passou a ser perseguido por um homem que estava em uma bicicleta, que disparou vários tiros contra ele, que foi alvejado com quatro disparos.

“Ele ia caminhando normalmente, quando de repente um homem montado em uma bicicleta saiu em perseguição ele, que ainda se virou e olhou a pessoa na bicicleta, mas acho que ele não imaginou que o alvo seria ele. Sem fazer qualquer pergunta o homem disparou várias vezxes e o rapaz tombou, já morto”, narrou uma testemunha, que não se identificou.

Ouvido pela reportagem do Diário do Amapá, o médico-legista do Instituto Médico Legal (IML), Odair Monteiro, confirmou que a vítima foi alvejada com quatro tiros. E como não foram encontradas cápsulas no local, e considerando as características das perfurações, é possível que a arma utilizada foi um revólver calibre 38.

“No total foram detectadas quatro perfurações com características de arma de fogo, mas isso só pode ser confirmado com a realização da necropsia; também tudo aponta que os disparos foram feitos por um revólver calibre 38, por causa das características das perfurações e porque não encontramos cápsulas na cena do crime, o que ocorre quando se trata de um calibre maior, como de pistola, por exemplo”.

Comandante da viatura do 6º Batalhão da Polícia Militar (6º BPM) que atendeu a ocorrência, o sargento Danilo disse que ainda não há informações sobre a motivação do crime, mas considerou a possibilidade de execução. Ele disse que na área onde ocorreu o homicídio impera a ‘lei do silêncio’, e isso dificulta muito as investigações. Ainda de acordo com o militar, populares comentaram que o pai da vítima sabe quem praticou o homicídio, pois ele teria saído no encalço dos autores.

“Por conta desse silencio nosso trabalho se restringiu ao isolamento da cena do crime, mas não se sabe ainda o motivo dessa execução; mas pudemos perceber que ele era consumidor de substancia entorpecentes, pois com ele foi encontrada uma trouxinha de maconha, além do fato de que, apesar de termos constatado por meio de buscas junto ao Cesein ele não tinha nenhuma passagem por ato infracional, ele possuí um irmão que tinha envolvimento em crimes, tanto que morreu durante um confronto com a polícia. Populares nos informaram que, tão logo soube do homicídio, o pai do adolescente saiu em busca dos autores, o que indica que ele sabe quem foi o responsável pela execução”, relatou o sargento.

O corpo da vítima foi removido para o IML da Polícia Técnica-Científica. A ocorrência foi registrada no Ciops do Pacoval e a investigação ficará a cargo da Delegacia de Homicídios.

Reportagem e fotos: Jair Zemberg

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *