Polícia

Avô e tio são presos por estupro de meninas de 8 e 13 anos no Arquipélago do Bailique

Além deles, outro homem – que não é da família – foi preso pelo mesmo crime. Os três foram recolhidos ao Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen), em Macapá.

Compartilhe:

Elden Carlos – Editor

 

 

O delegado Anderson Gomes, titular da delegacia de Polícia Civil de Mazagão, distante 32 quilômetros de Macapá, comandou uma força-tarefa do Departamento de Polícia do Interior (DPI) durante uma missão de seis dias em comunidades do Arquipélago do Bailique, distante 160 quilômetros da capital. Várias diligências e cumprimento de ordens judiciais foram realizadas nas comunidades de Vila Progresso, Buritizal, Maúba, Vila Macedônia, Itamatatuba, Jangada, Jangada Grande, Jangadinha, Porto do Curuá, Limão do Curuá, Porto Fábrica e Igarapé Grande do Curuá.


Durante a missão a polícia apreendeu armas de fogo e prendeu duas pessoas em flagrante. Eles passaram por audiência de custódia e responderão ao processo em liberdade. Segundo o delegado, o que chamou atenção foi o caso de três homens que estavam com as prisões temporárias decretadas pela justiça.


De acordo com Anderson Gomes, os presos são investigados pelo crime de estupro de vulnerável. Eles teriam violentado sexualmente duas meninas, de 8 e 13 anos, sendo que um dos suspeitos é avô e outro o tio de uma das vítimas.


O delegado lembrou que esse tipo de crime acaba sendo recorrente em regiões isoladas, e que quase nunca são realizadas denúncias por causa dos laços familiares. Além dos três presos, a polícia deteve um adolescente por ato infracional análogo ao mesmo crime.

A força-tarefa deflagrou a missão no arquipélago do Bailique durante a 138ª Jornada Itinerante, promovida pelo Tribunal de Justiça do Amapá.

Com informações da Ascom/PC
Imagens: Divulgação/PC

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *