Polícia

Corpo de sargento PM da reserva é sepultado com homenagens

Monteiro ainda ajudou os náufragos a se segurarem em carotes e pedaços de madeira que boiaram, mas depois ele desapareceu no rio


Compartilhe:

 

Foi sepultado na manhã dessa terça-feira, 3, no cemitério de São Francisco de Assis, zona oeste de Macapá, o corpo do sargento PM da reserva, João de Jesus Monteiro, 59 anos, que morreu vítima de afogamento no sábado passado, 31, na localidade do rio Maniva, zona rural do município de Afuá (PA).

O corpo do sargento foi sepultado em meio a homenagens prestadas por colegas de farda do Batalhão de Operações Especiais (Bope), ao qual ele ingressou após formatura na primeira turma do batalhão de elite da Polícia Militar. Com 30 anos dedicados ao estado e pai de seis filhos, Monteiro estava há cinco anos na reserva.

O comandante geral da PM, coronel Carlos Souza, disse durante o funeral que o sargento entrou para reserva após relevantes serviços prestados ao Amapá, e que Monteiro se tornou um símbolo do Batalhão de Operações Especiais nas inúmeras operações das quais participou.

“Perdemos um irmão de farda, e muito mais que isso, um exemplo de dedicação e amor à polícia do Amapá. Neste momento de luto, rendemos nossas condolências aos familiares, mas sem jamais poder deixar de reconhecer o honroso serviço prestado aos logo de três décadas”, resumiu o comandante.

Acidente
A Capitania dos Portos do Amapá vai apurar as causas do acidente ocorrido no fim da manhã de sábado, 31. Segundo as primeiras informações, uma onda forte teria provocado o afundamento da embarcação. Havia quatro mulheres e duas crianças a bordo, além do sargento. Consta que Monteiro ainda ajudou os náufragos a se segurarem em carotes e pedaços de madeira que boiaram, mas depois ele desapareceu no rio.

O corpo foi encontrado nessa segunda-feira, 2, por uma equipe do Batalhão Ambiental que patrulhava a área onde o acidente ocorreu. A Capitania dos Portos quer apurar o caso para apontar possíveis falhas e responsabilidades.

 
Compartilhe:

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *