Polícia

Delegada detalha morte da cabo Emily e anuncia indiciamento do soldado Kássio Mangas

Soldado PM Kássio Mangas foi indiciado por três crimes com quatro qualificadoras. Ele está preso no Centro de Custódia do Zerão

Compartilhe:

A delegada da Polícia Civil, Sandra Dantas, titular da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM), concluiu o inquérito que apura o assassinato da cabo da Polícia Militar (PM) Emily Karine de Miranda Monteiro, de 29 anos, assassinado à tiros na tarde de 12 de agosto passado no interior do apartamento onde ela morava, no bairro Pacoval, zona norte de Macapá. o soldado da PM, Kássio de Mangas dos Santos, de 29 anos, assumiu a autoria do crime e está preso no Centro de Custódia do Zerão.

 

Nesta sexta-feira (24) a delegada reuniu a imprensa para detalhar o caso. “Um dos fatos novos que surgiram no curso das investigações foi a dinâmica dos disparos. Ao contrário do que se analisou inicialmente, a vítima foi morta com quatro tiros, e não apenas três. Isso foi comprovado pela prova técnica. Emily foi alvejada sobre a cama. A sequencia dos tiros também revela que o policial usou uma técnica militar para efetuar os disparos. Pelos levantamentos periciais, ela foi alvejada em uma das pernas, abdômen, tórax e, por ultimo, na cabeça. Essa teria sido a ordem dos disparos”, revelou a delegada.

 

Após os disparos, Kássio Mangas ainda cobriu a vítima com um cobertor para que se alguém entrasse em seguida, imaginasse que ela estava dormindo. O tiro que atingiu a cabeça de Emily foi disparado do alto. A pistola calibre Ponto 40 ficou a uma distância aproximada de 40 cm da cabeça da vítima.

O projétil foi encontrado dentro do colchão e continha sangue humano e fios de cabelo. Os peritos também atestaram que a policial sofreu outras agressão físicas. “Além disso, nós descobrimos pela ordem cronológica que após os disparos o investigado ainda pegou o celular da jovem e enviou uma mensagem para uma amiga dela”, detalhou Sandra Dantas.

 

““Queria muito ficar com a Emily, mas ela fez outra escolha”. Esse teria sido o texto enviado por Kássio Mangas para a amiga de Emily. , dizia a mensagem.

 

Crimes e qualificadoras
Segundo ainda a presidente do inquérito, Kássio Mangas foi indiciado por:

Fraude processual: Ele alterou o cenário do crime, inclusive, desaparecendo com três dos quatro estojos da munição utilizada para matar a companheira;

Furto: já que ele levou o carro e o aparelho celular da vítima na fuga

Homicídio, sendo quatro qualificadoras:

1. Feminicídio: caracterizado pelo ódio nutrido pela vítima;

2. Motivo torpe – já que ele não aceitava o fim do relacionamento

3. Meio cruel

4. E ação que impossibilitou chance de defesa da vítima

 

“Veja bem, a dinâmica do crime revela a monstruosidade com que a vítima foi morta. Concluímos o inquérito, mas ainda aguardamos novos laudos e até mesmo depoimentos que serão anexados ao processo. Já estamos encaminhando o inquérito robustecido ao Ministério Público do Amapá no sentido de que a denúncia seja ofertada à justiça e ele vá à júri popular”, concluiu a delegada.

O inquérito também contou com o trabalho auxiliar das delegadas Katiuscia Amaral e Janeci Monteiro.

Reportagem: Elden Carlos e Rodrigo Silva

Fotos: Marlon Palheta

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *