Polícia

Faccionado morre em confronto com a Rotam no município de Santana

Caso ocorreu no final da madrugada de domingo (02) na Baixada do Ambrósio, no município de Santana.

Compartilhe:

Elden Carlos
Editor-chefe

 

O faccionado Rodrigo de Melo Santos, de 23 anos, o ‘Juninho da Ruth’, foi morto no final da madrugada de domingo (02) durante uma troca de tiros com policiais da Rondas Ostensivas Táticas Motorizadas (Rotam). A ocorrência teve início por volta de 5h30. Os policiais haviam recebido denúncias de intensa comercialização de drogas e roubos na passarela Jesus de Nazaré, baixada do Ambrósio, no município de Santana.


De acordo com relatório do tenente Alvarez, do Batalhão de Operações Especiais (Bope), duas equipes da Rotam seguiram para o local. Além da comercialização de drogas as denúncias davam conta de criminosos fortemente armados no local.

Assim que as equipes desembarcaram e incursionaram na área de passarela um grupo de suspeitos foi avistado. O bando dispersou rapidamente, efetuando disparos. Houve um primeiro confronto, mas eles escaparam. Houve uma denúncia de onde um dos faccionados estaria homiziado.

Os policiais entraram no imóvel e Juninho iniciou novo confronto, mas pulou para área de alagado pelos fundos da residência. A troca de tiros continuou e o elemento acabou alvejado. Equipes do Corpo de Bombeiros Militar e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) constataram o óbito no local.

Com Juninho da Ruth foi apreendido um revólver calibre 32, porções de drogas e um rádio comunicador. O rádio seria o mesmo em que ele aparece em um vídeo exibindo armas com outros criminosos.

Ele respondia a crimes como roubo e homicídio e atualmente estava cumprindo pena no regime domiciliar. A polícia descobriu que desde o dia 30 de abril a tornozeleira eletrônica que ele usava havia parado de emitir a localização. O corpo foi removido para o Departamento de Medicina Legal (DML) da Polícia Técnico-Científica (Politec) para ser necropsiado.

Reportagem e fotos: Jair Zemberg

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *