Polícia

Mulher é indiciada por tentar matar o marido em leito de hospital

Indiciada tentou matar o próprio marido [por asfixia] em um leito de hospital onde ele estava internado desde que ficou tetraplégico. A mulher estaria de olho em uma suposta pensão.

Compartilhe:
Vítima está internada no Hospital de Clínicas Alberto Lima

Uma mulher de 37 anos foi indiciada na manhã desta quarta-feira (5) pelo crime de tentativa de homicídio duplamente qualificado contra o marido, de 42 anos, que ficou tetraplégico em agosto de 2017 após ter caído de um cavalo, e que desde então está internado no Hospital de Clínicas Alberto Lima.

Segundo o delegado Leandro Leite, da 6ª Delegacia de Polícia Civil (6ª DP), a mulher tentou matar o companheiro por asfixia. “O casal morava em uma fazenda no interior do estado quando houve um acidente de trabalho e a vítima caiu do cavalo. O homem ficou tetraplégico. A família do trabalhador diz ter percebido um comportamento agressivo por parte dessa senhora desde então. Em março passado ele teria tentado matá-lo por asfixia no leito de internação, inclusive, usando uma luva cirurgia para isso”, explicou o delegado.

Segundo testemunha que estavam acompanhando outros pacientes no mesmo quarto, a mulher tentou asfixiar o marido com a luva e ainda arrancar o tubo alojado na traquéia, cessando com isso a ventilação mecânica, o que resultaria na morte do paciente.

Eles impediram o crime e chamaram os enfermeiros que retiraram a mulher do quarto. “A vítima encontrava-se totalmente imobilizada e não pôde opor resistência a esse ato injusto de agressão. Cinco testemunhas foram ouvidas e corroboraram ao que foi dito pela vítima, estando convictos que a esposa tentou matá-lo por meio do asfixiamento”, ressaltou o Delegado.

Ainda de acordo com o presidente do inquérito, em depoimento posterior a vítima relatou que sua esposa tentou matá-lo para ficar com uma pensão a que ela passaria a ter direito. A pena para esse tipo de crime pode ser de 12 anos a 30 anos de prisão.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *