Polícia

PF deflagra operação para reprimir caça ilegal na Floresta do Amapá

Operação Órion II cumpriu 8 mandados de busca e apreensão em diferentes endereços no município de Porto Grande, distante 103 quilômetros de Macapá, nesta quinta-feira (24).

Compartilhe:

Elden Carlos
Editor-chefe

 

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quinta-feira (24) a segunda fase da Operação Órion, para dar cumprimento a 8 mandados de busca e apreensão em diferentes endereços do município de Porto Grande, distante 103 quilômetros de Macapá.

Segundo a PF, objetivo é desarticular uma organização criminosa que, de forma reiterada, vem realiza caça ilegal no interior da Floresta Nacional do Amapá (FLONA), unidade de conservação que tem domínios dentro do município alvo da operação. Cerca de 40 policiais federais participam da operação.


Até por volta de 10h30 às buscas havia resultado na apreensão de 40 quilos de carne de caça de animais silvestres entre pacas, jacarés e porcos do mato. Dois homens, de 37 e 47 anos, foram presos em flagrante por receptação e armazenamento de espécie de fauna silvestre sem a devida autorização.

Segundo a investigação, ocorrida a partir de denúncia promovida pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), foi apurado que os investigados se aproveitaram do momento de vulnerabilidade social [causado pela pandemia da Covid-19] e promoveram incursões ilegais na Flona para a caça dos animais silvestres.

A ação desta quinta-feira é desdobramento da Operação Órion I, deflagrada em novembro de 2017, quando foram apreendidas aproximadamente 93 quilos de carne de caça de animais silvestres entre macacos, veados, jacarés e outros, além de armas de fogo e munições utilizados na prática criminosa.

Os investigados poderão responder pelos crimes de associação criminosa e caça ilegal em Unidade de Conservação. Se condenados poderão cumprir pena de até 6 anos de prisão.

Imagens: Divulgação/PF

 

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *