Polícia

Venezuelano preso no Amapá com mais de 1 kg de cocaína no estômago morre no HE

Homem de 51 anos sofreu perfuração da alça intestinal, segundo exame da necropsia. Médicos haviam extraído 83 cápsulas de cocaína do estômago do estrangeiro.

Compartilhe:

O venezuelano Jorge Eliezer Marques, de 51 anos, morreu na tarde de segunda-feira (27) após 19 dias de internação no Hospital de Emergência de Macapá. Marques deu entrada naquela casa de saúde no dia 8 de agosto com fortes dores abdominais.

 

Os exames revelaram que ele tinha 83 cápsulas de cocaína no estômago. O venezuelano passou por uma cirurgia, mas existia a informação de que ele tinha sofrido um rompimento da parede intestinal, e que o caso era grave. A droga extraída do estômago de Marques pesava mais de 1 quilo.

 

O Diário apurou junto à Polícia Técnico-Científica (Politec) que a causa morte foi descrita pelo médico legista como: “Choque séptico, septicemia, peritonite e perfuração de alça intestinal”. O corpo está congelado na geladeira nº 16 da Politec, já que o homem não tem parentes no Amapá para fazer a reclamação do cadáver.

 

O caso
Jorge Eliezer Marques, de 51 anos, foi preso pela Polícia Federal (PF) no Amapá no dia 8 deste mês pelo crime de tráfico internacional de drogas. A prisão ocorreu em Macapá. Segundo as investigações da PF, o estrangeiro – que estava em Oiapoque – embarcaria com a droga para a Europa, através de Caiena, na Guiana Francesa, porém, passou mal e resolveu vir à capital procurar ajuda médica.

 

Ele foi até o Hospital de Emergências de Macapá (HEM) se queixando de fortes dores no estômago. Durante exames, foi detectada a droga que ele havia ingerido. A Polícia Civil foi acionada inicialmente, mas por se tratar de um estrangeiro o caso foi assumido pela Polícia Federal.

Os médicos extraíram 83 cápsulas de cocaína que o venezuelano havia ingerido, totalizando mais de 1 kg da droga. Não foi informado em que local ele ingeriu as drogas e qual seria o destino final.

 

Reportagem: Elden Carlos
Fotos: Divulgação/PF

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *