Política Nacional

Cardozo manda PF apurar vazamento de depoimento do filho de Lula

Empresário é suspeito de envolvimento em esquema de corrupção

Compartilhe:

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, determinou que a Polícia Federal (PF) apure o suposto vazamento do depoimento do empresário Luis Cláudio Lula da Silva – filho mais novo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – nas investigações da Operação Zelotes, informou a assessoria da pasta.

Cardozo ordenou a investigação após a defesa de Luis Cláudio protocolar uma representação solicitando que fosse averiguado o possível vazamento das informações prestadas pelo empresário aos policiais federais no dia 4 de novembro.

A desembargadora Neuza Maria Alves da Silva, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), determinou no dia 6, por meio de uma liminar (decisão provisória), o sigilo dos dados e documentos apreendidos pela Polícia Federal em empresas de Luís Cláudio.

De acordo com a assessoria do Ministério da Justiça, o titular da pasta ordenou que, após apurar a denúncia, a Polícia Federal preste esclarecimentos ao gabinete do ministro para que sejam tomadas as “providências cabíveis”.

No final de outubro, três empresas de Luís Cláudio foram alvo de ações de busca e apreensão da PF na mais recente fase da Operação Zelotes, que investiga um suposto esquema de corrupção que atuava no Conselho de Administração da Receita Federal (Carf), órgão ligado ao Ministério da Fazenda.
Segundo as investigações, a LFT – uma das empresas de Luís Cláudio – recebeu pagamentos do escritório Marcondes e Mautoni, especializado na representação de montadoras automotivas em entidades do setor, como a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos (Anfavea) e o Sindicato Nacional da Indústria de Veículos (Sinfavea).

A banca de advogados de Marcondes é investigada pela Polícia Federal e pelo Ministério Público por ter atuado de forma supostamente ilegal para aprovar a MP 471, que prorrogou benefícios fiscais de montadoras de veículos.

Em 27 de outubro – dia em que Lula completou 70 anos –, Luís Cláudio foi intimado a depor à Polícia Federal para esclarecer as suspeitas de que uma empresa dele recebeu propina do esquema de corrupção que atuava no Carf. Na ocasião, Cardozo ordenou que o diretor-geral da PF, Leandro Daiello, prestasse “esclarecimentos imediatos” sobre a intimação do filho mais novo do ex-presidente da República, que teria ocorrido após as 23h, “fora do procedimento usual”.

O advogado do caçula de Lula, Cristiano Zanin Martins, explicou que a LFT prestou serviços à Marcondes e Mautoni nos anos de 2014 e 2015 e, por este motivo, recebeu os valores que foram contratados. As apurações da Operação Zelotes apontam que, em 2014, a LFT recebeu R$ 1,5 milhão da empresa de Marcondes.

 
Compartilhe:

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *