Política Nacional

Conselho adia escolha de relator do processo de cassação de Bolsonaro

Deputado Laerte Bessa (PR-DF) questionou ‘isenção’ de petistas sorteados

Compartilhe:
O deputado Jair Bolsonaro durante sessão do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados que instaurou nesta terça-feira (16) processo por quebra de decoro contra o deputado Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados adiou a escolha do relator do processo de cassação do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ). Inicialmente, o anúncio do parlamentar responsável pela relatoria do caso iria ocorrer nesta quarta-feira (6).

O adiamento ocorreu após o deputado Laerte Bessa (PR-DF) contestar no plenário do colegiado, em uma questão de ordem, os nomes sorteados na semana passada para a lista tríplice na qual o presidente do Conselho de Ética, deputado José Carlos Araújo (PP-BA), escolheria um relator.

Na ocasião, foram sorteados para a relatoria os deputados Zé Geraldo (PT-PA), Valmir Prascidelli (PT-SP) e Wellington Roberto (PR-PB). O deputado do PR abriu mão de concorrer à relatoria alegando que está “muito atarefado” e que votará a favor de Bolsonaro por acreditar que o parlamento do Rio de Janeiro “está respaldado pela Constituição”.

Larte Bessa alegou na sessão desta quarta-feira do conselho que os dois deputados petistas não poderiam analisar de forma “imparcial” o processo e pediu a suspensão da indicação do relator. Na visão dele, o eventual voto de Zé Geraldo ou Valmir Prascidelli pode ser “enviesado” na medida em que os dois parlamentares são do mesmo partido da presidente afastada, Dilma Rousseff.

Diante da reclamação, o presidente do Conselho adiou a definição do deputado que vai ocupar a relatoria e informou que irá solicitar uma consultoria à área jurídica da Câmara para garantir que o processo tramite de maneira “transparente”.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *