Política Nacional

Dilma defende ‘combate sem trégua ao terrorismo’

Ela está na Turquia para reunião das 20 maiores economias do planeta

Compartilhe:

Em reunião com os chefes de Estados dos Brics, a presidente Dilma Rousseff defendeu uma ação conjunta da comunidade internacional de “combate sem trégua ao terrorismo”.

Em um rápido discurso diante dos líderes da Rússia, da Índia, da China e da África do Sul, Dilma disse que ficou “consternada” com os atentados terroristas ocorridos na última sexta-feira (13) em Paris e voltou a prestar “solidariedade” ao presidente da França, François Hollande e ao povo francês.

Os chefes de Estado das cinco nações em desenvolvimento fizeram um encontro preliminar à reunião de cúpula do G20 – o grupo dos países com as 20 maiores economias do planeta – no balneário turco de Antália. Os líderes do G20 irão participar de reuniões e eventos neste domingo e na segunda-feira (16).

Na manifestação, a presidente brasileira também lembrou o acidente aéreo com um avião russo no Egito, ocorrido no final de outubro, no qual morreram 224 pessoas. A petista prestou “condolências” às vítimas da tragédia com a aeronave da companhia russa KogalymAvia.

“Expresso o meu mais veemente repúdio, que é também o de todo o povo brasileiro, aos atos de barbárie praticados pela organização terrorista Estado Islâmico, que levaram morte e sofrimento a centenas de pessoas de várias nacionalidades em Paris, na sexta-feira passada. Manifesto ainda nosso pesar às famílias e aos amigos das vítimas. Estou certa que todos nós nesta reunião dos Brics estamos consternados e queremos manifestar nossa integral solidariedade ao presidente François Hollande e ao povo francês”, declarou Dilma na reunião dos Brics.

“Essas atrocidades tornam ainda mais urgente uma ação conjunta de toda a comunidade internacional no combate sem tréguas ao terrorismo”, complementou a presidente. Segundo nota oficial do Itamaraty, os líderes dos Brics decidiram defender o fortalecimento da cooperação entre os países do bloco com outras nações “na luta contra o terrorismo”.

 
Compartilhe:

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *