Política Nacional

PGR diz ao STF que Bolsonaro iniciou convocações para atos antidemocráticos de 7 de setembro

É a primeira vez que o órgão cita nominalmente Bolsonaro dentro do inquérito que apura o financiamento e a organização dos atos

Compartilhe:

OProcuradoria-Geral da República (PGR) afirmou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que os atos antidemocráticos de 7 de setembro começaram a ser organizados a partir de uma entrevista do presidente Jair Bolsonaro, em 15 de agosto.

A manifestação da PGR foi enviada ao Supremo no dia 4 de setembro e faz parte de um parecer que pediu bloqueio das contas da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT) e da Associação Brasileira de Produtores de Soja (Aprosoja Brasil).

A pedido da PGR, o ministro Alexandre de Moraes, do STF, determinou o bloqueio de contas das entidades que são investigadas pela organização de atos violentos contra as instituições no dia 7 de setembro.

Ao STF, a subprocuradora-geral da República, Lindôra Araújo, lembrou que, na entrevista de agosto Bolsonaro, se referiu a “contragolpe” ao que ele entendia como medidas contrárias ao governo.

“A princípio, a organização da realização de prováveis atos de ataque à democracia e às instituições iniciou-se com entrevista do presidente da República informando que haveria contragolpe aos atos entendidos como contrários a sua gestão, em 15 de agosto do presente ano”, escreveu a subprocuradora.

A PGR divulgou uma nota em que ressaltou que a data da entrevista é “apenas” um “marco” para indicar o início da organização dos atos.

“A afirmação de que o presidente da República teria convocado atos antidemocráticos não reflete o que foi mencionado na manifestação da PGR. O documento ministerial apenas aponta uma entrevista dada pelo presidente em 15 agosto, fato público e amplamente já divulgado, para delimitar a data como marco para a possível organização dos atos – objeto da apuração – bem como para fixar o limite temporal para a execução das medidas”, afirmou a PGR.

O próprio Bolsonaro participou dos atos, com discursos a apoiadores em Brasília e em São Paulo. As falas do presidente tiveram conteúdo golpista e de ataque às instituições. Bolsonaro chegou a dizer que não cumpriria mais ordens do STF.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *