Política Nacional

Senador vê ‘indícios fortes de corrupção’ em hospitais federais do Rio e quer convocar ex-gestores

Humberto Costa coordena grupo de trabalho da CPI para apurar suspeitas nessas unidades e aponta possível favorecimento a empresas. Comissão retoma reuniões nesta semana.

Compartilhe:

Osenador Humberto Costa (PT-PE) afirmou que apurações em andamento na CPI da Covid apontam para “indícios fortes de corrupção” envolvendo os hospitais federais do Rio de Janeiro.

Costa é coordenador de um dos grupos de trabalho formados pela CPI para apurar as supostas irregularidades nas unidades de saúde. Segundo Costa, “há indícios de atos de corrupção muito fortes e que envolvem vários hospitais”.

O senador apresentou uma lista de pedidos de convocação para ouvir ex-superintendentes do Ministério da Saúde ligados à saúde fluminense.

Segundo Humberto Costa, há suspeitas de favorecimento a empresas em contratos firmados com os hospitais federais e de pagamento de propina por meio de organizações sociais.

“Há muitas suspeitas de que pagamentos de propinas a eventuais agentes públicos pudessem ser feitos inclusive por empresas contratadas por organizações sociais. Tudo indica que uma determinada empresa beneficiada num contrato de organização social ao mesmo tempo era beneficiada numa contratação num hospital federal”, afirmou o senador.

O parlamentar, no entanto, não deu muitos detalhes sobre as apurações. Costa disse que foi orientado por agentes da Polícia Federal e por servidores do Tribunal de Contas da União (TCU) que auxiliam os trabalhos da CPI a ser “econômico” nas informações para não prejudicar a investigação.

Os hospitais federais do Rio entraram na mira da CPI da Covid após depoimento do ex-governador do Rio Wilson Witzel.

Aos senadores, Witzel disse que há uma “máfia” da saúde no estado e apresentou uma lista de organizações sociais que estariam envolvidas em um suposto esquema de corrupção. Na sequência, os senadores aprovaram a quebra de sigilo bancário e fiscal dessas organizações.

Costa relatou que a CPI também se debruça sobre contratos firmados pelos hospitais, dispensas de licitações e aditivos com suspeita de favorecimento.

“Nós pudemos confirmar que há inúmeras irregularidades que precisam ser objeto de uma avaliação mais profunda”, afirmou.

Convocações

O senador também apresentou uma lista de pedidos de convocação envolvendo as suspeitas sobre a saúde fluminense. Segundo ele, haverá ainda pedidos de quebras de sigilo.

Costa pediu a convocação de:
– Marcelo Lambert, ex-superintendente do Ministério da Saúde no Rio
– Joabe Antônio Oliveira, coordenador do hospital federal de Bonsucesso
– George Diverio, ex-superintendente do Ministério da Saúde no Rio
– Cristiane Jordan, ex-diretora do Hospital federal de Bonsucesso.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *