Política

A pedido de Sueli Pini, presidente do Tribunal de Justiça do Amapá manda apurar vazamento de informações

Desembargador João Lages determinou que a sindicância será realizada em sigilo com prazo de 45 dias

Compartilhe:

Paulo Silva
Editoria de Política

 

Considerando que o Memorando 020/2020 relativo ao pedido de aposentadoria feito pela desembargadora Sueli Pini foi amplamente divulgado na mídia, logo após sua protocolização, o que induz o vazamento por algum servidor; e ainda que houve a divulgação de Carta de Ordem do Conselho Nacional de Justiça, sendo noticiado em tom pejorativo e depreciativo os motivos para a solicitação de aposentadoria por parte da desembargadora, o presidente do Tribunal de Justiça do Amapá, desembargador João Guilherme Lages Mendes, instaurou sindicância para apuração dos fatos.

 

O presidente do TJAP atendeu solicitação feita pela desembargadora Sueli Pini através do memorando 021/2020, no qual a vice-presidente do Tribunal solicita apuração do vazamento das informações acerca do processo administrativo 49463/2020, de 29/06/2020, bem como o que mais emergir no decorrer dos

trabalhos.

 

O grupo que vai conduzir a sindicância terá o prazo de 45 dias para a conclusão dos trabalhos com a emissão de relatório final, contados da publicação do ato de portaria, admitida prorrogação, nos termos da legislação aplicada à espécie.

 

A instrução da sindicância será realizada em sigilo, no Tucujuris ADM, ficando os autos disponíveis apenas aos interessados ou procuradores posteriormente constituídos, a fim de possibilitar ampla defesa e conhecimento dos fatos imputados.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *