Política

Assembleia aprova PL que assegura atendimento prioritário aos portadores de neoplasia maligna

A iniciativa, de autoria da deputada estadual Janete Tavares (PPS), foi bastante elogiada pelos parlamentares na 52ª sessão ordinária.

Compartilhe:

Após o recesso parlamentar de julho, a Assembleia Legislativa do Amapá (Alap) aprovou, por unanimidade, o Projeto de Lei nº 0252/17-AL, que assegura atendimento prioritário aos portadores de neoplasia maligna nos serviços públicos e privados do estado. A iniciativa, de autoria da deputada estadual Janete Tavares (PPS), foi bastante elogiada pelos parlamentares na 52ª sessão ordinária, ocorrida nesta terça-feira (7), pela grandeza da matéria em benefício ao público-alvo.

“Essa aprovação é uma conquista pessoal, pois já senti na pele o sofrimento causado por essa terrível doença. Com o poder de Deus, venci o câncer de mama e, duas vezes, o câncer de pele. Não poderia jamais deixar de contribuir para que as pessoas possam ter o devido atendimento, o respeito que elas merecem. A luta continua e essa sempre será uma das minhas bandeiras. Sei que muito deve ser feito no que concerne as melhorias do tratamento desta doença em nosso estado. Porém, se todas as autoridades assumirem o compromisso em fazer a sua parte, mais pessoas poderão ser salvas”, enfatiza a deputada Janete Tavares.

A proposta do projeto é oferecer agilidade e comodidade a essas pessoas nos serviços oferecidos pelo poder público e instituições de iniciativa privada, sejam nas áreas da educação, saúde, assistência social e transporte, como também em bancos, casas lotéricas, supermercados, lojas de departamento e similares. O Projeto de Lei destaca que só é portador de câncer clinicamente ativo o paciente que tenha esta condição atestada por médico especialista, como cirurgião oncológico, oncologista clínico, hematologista ou radioterapeuta da rede pública ou conveniada ao Sistema Único de Saúde (SUS).

Agora a matéria segue para sanção governamental. “Não tenho dúvida de que o nosso governador sancionará este Projeto de Lei tão importante para essa parcela da população, que, infelizmente, sofre no dia a dia com essa doença. Tornando-se em lei, amenizará o sofrimento de muitos que procuram atendimento nos mais diversos serviços oferecidos pelas redes pública e privada do Amapá”, pondera a parlamentar.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *