Política

Central articulada por Randolfe recebe mais de 500 denúncias para ação de ressarcimento aos amapaenses

O material irá compor ação civil pública que será encaminhada à Justiça Federal.

Compartilhe:

Na próxima sexta-feira (27), será entregue ao Ministério Público Federal o primeiro lote de denúncias, apresentadas pelo senador Randolfe Rodrigues (REDE), das vítimas do apagão.

Os mais de 500 relatos de amapaenses que tiveram prejuízos e danos com os 22 dias de interrupção no fornecimento de energia elétrica foram recebidos pelo parlamentar, através de uma central de denúncias via WhatsApp.

O material irá compor ação civil pública que será encaminhada à Justiça Federal, solicitando o bloqueio de bens das empresas fornecedoras do serviço, além de ressarcimento aos amapaenses pelos danos sofridos durante o apagão.

O senador explica que esse será o primeiro conjunto de casos encaminhados para a esfera judicial e que a central continuará a receber denúncias para encaminhento nos próximos dias de novos lotes.

“Nossa luta é para que nossa população seja efetivamente ressarcida depois de mais de três semanas de caos e enormes perdas. O que vivemos aqui, é inconcebível e é preciso reparação a quem perdeu do alimento ao eletrodoméstico, da casa em um incêndio até toda sorte de problema”, destacou.

 

Central de Denúncias do Apagão

Iniciativa do senador Randolfe Rodrigues, a Central de Denúncias do Apagão foi criada com o objetivo de reunir relatos de pessoas com prejuízos causados pela falta de energia.

Para realizar sua denúncia, basta entrar em contato com o WhatsApp 96 99190-0018. É preciso que a pessoa repasse nome completo, CPF e envie um relato em texto e se também tiver registro de fotos, vídeos e áudios sobre o prejuízo causado.

O material é sistematizado pela equipe jurídica do mandato do senador e será acrescentada na ação popular que cobrará indenização aos atingidos pelo apagão no Amapá.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *