Política

Deputado federal Marcos Reátegui coordena frente parlamentar m

Iniciativa visa conscientizar a sociedade brasileira para a importância do diagnóstico precoce da doença 


Compartilhe:

 

Sob a coordenação do deputado federal Marcos Reátegui (PSC-AP) foi lançada nessa terça-feira, em Brasília, a Frente Parlamentar Mista de Combate às Hepatites Virais, que visa conscientizar a sociedade para a importância de diagnosticar precocemente a hepatite, a fim de controlar esse mal da forma mais eficiente possível.

Aproximadamente 500 milhões de pessoas em todo o mundo vivem com hepatite B ou C, o que representa uma em 12 pessoas. Se não for controlada ainda em seu início, a doença pode levar a um estado avançado de danificação do fígado, podendo até mesmo provocar câncer e insuficiência hepática. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde, todos os anos mais de um milhão de pessoas ao redor do mundo morrem devido à hepatite, o que representa um número superior ao de mortes por HIV/Aids.

As hepatites virais são o principal motivo de transplante de fígado em alguns países do continente americano, razão pela qual é importantíssimo que a sociedade entenda o quão relevantes são os exames de controle preventivo. No Brasil, a vacina para a hepatite B está disponível na rede pública de saúde, assim como os testes para detecção da doença. Contudo, o preconceito grande que ainda existe em ralação às doenças sexualmente transmissíveis ainda inibe boa parte das pessoas na hora de buscar ajuda especializada.

A maioria da população sequer sabe de sua existência, muito menos das formas de transmissão, que podem se dar em diversas condutas de nosso cotidiano e que ocorrem, principalmente, da seguinte forma:

Hepatite A: Ingestão de água e alimentos contaminados. Contato com urina e fezes contaminadas. O contágio poderá ocorrer, entre outras formas, durante o ato sexual com parceiro (a) infectado (a), banho em águas contaminadas, através da saliva no compartilhamento de copos e talheres com pessoa contaminada.

Hepatite B: Contato com sangue contaminado e outros fluídos corporais. O contágio ocorre, entre outras formas, durante o ato sexual com parceiro(a) infectado(a), na gestação e amamentação por mulheres portadoras, pela saliva, urina e fezes.

Hepatite C: Somente no contato de sangue com sangue contaminado. Transfusões de sangue e seus derivados – principalmente antes de 1993 – indica a maior forma de contágio. Embora a transmissão sexual possa ocorrer, é incomum. Na atualidade, as principais formas de transmissão são a utilização de instrumentos pérfuro cortantes não esterilizados adequadamente, compartilhamento de seringas e canudos durante o consumo de drogas ilícitas.

 
Compartilhe:

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *