Última hora Polícia Política Cidades Esporte
Política

Em Macapá, ministro da Cidadania defende o extrativismo em evento que visa apoiar o empreendedorismo feminino

Ronaldo Bento lidera a caravana “Brasil Pra Elas”, em parceria com diversos órgãos e entidades para orientar principalmente mulheres beneficiárias do Auxílio Brasil.


Fotos: Matheus Bacellar/ Min. Cidadania

Cleber Barbosa
Da Redação

Para impulsionar o empreendedorismo feminino e abrir caminhos para que as mulheres beneficiárias do Auxílio Brasil tenham cada vez mais autonomia social e financeira, a Caravana Brasil Pra Elas chegou a Macapá, capital do Amapá, neste sábado (11.06). A ação do Governo Federal, em parceria com diversos órgãos e entidades, contou com programação gratuita de atendimentos à saúde, cursos, divulgação de vagas de empregos, palestras, orientações sobre crédito, atividades de lazer e sorteios.

Presente ao evento, o ministro da Cidadania, Ronaldo Bento, destacou a vocação do Auxílio Brasil para melhorar a vida de mulheres em situação de vulnerabilidade social, permitindo e estimulando que elas trilhem caminhos de emancipação financeira.

“Você que é extrativista de castanha, você que colhe a sua castanha, você pode receber o Auxílio Brasil e trabalhar como extrativista de castanha aqui no estado do Amapá. Porque a gente quer justamente isso, que as mulheres consigam a sua autonomia social, sua autonomia financeira, para cada vez mais melhorar sua condição de vida”, exemplificou.

O ministro também destacou a importância do Auxílio Brasil para que as famílias de baixa renda no Amapá possam lidar com os desafios do pós-pandemia. “O Auxílio Brasil chega a 84 mil mulheres, chefes de família, aqui na população do Amapá. Em Macapá, mais de 30 mil mulheres recebem a ajuda do Governo Federal, o Auxílio Brasil, para poder fazer frente à sua necessidade de estar ali enfrentando o momento de recuperação social pós-pandemia”, disse.

Esse apoio foi fundamental para ajudar a auxiliar de limpeza Eliana de Souza durante o período da pandemia. “O Auxílio Brasil me ajudou muito, principalmente na pandemia, né? Eu me via desempregada, eu, minha filha e todo mundo lá em casa. Eu tenho um netinho de dois anos, então veio somar na renda econômica. Eu estou empregada agora e o Auxílio ele continua me ajudando para complementar a renda”, contou.

Embora tenha conseguido emprego, Eliana foi até a Caravana Brasil pra Elas porque seu objetivo é empreender. “Eu vim para tirar dúvida e fazer esse curso de cabeleireiro para ter uma renda a mais. Minha filha já mexe com sobrancelha e aí a ideia é somar para a gente ter o nosso próprio negócio mais lá pra frente”.

Cadastro único
Além de cursos, palestras e oficinas, a ação do Governo Federal ofereceu diversos estandes para atendimento à população, inclusive um do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) de Macapá. “O nosso trabalho hoje aqui nessa mega ação do Caravana Brasil Para Elas é trazer o Cadastro Único, o recadastro do Programa Auxílio Brasil. Esse cadastro é a porta de entrada para os benefícios dos programas sociais”, explicou Eliane Teixeira, gestora do Auxílio Brasil na capital amapaense.

O Cadastro Único é utilizado como base para concessão e manutenção de benefícios em mais de 25 programas federais, entre eles o Auxílio Brasil, a Tarifa Social de Energia Elétrica e o Benefício de Prestação Continuada (BPC). Cerca de 85 milhões de pessoas têm registro no sistema, que conta com 12 mil postos de atendimento em todos os municípios do país.

“Hoje as mulheres, a maioria das mulheres no Brasil, são chefes de família, e muitas não têm emprego fixo. O Cadastro Único, juntamente com o Auxílio Brasil, ajudam muito isso na família, na renda per capita da família. Essa renda auxilia muitas das mulheres a aderir a outros negócios, fazer outro tipo de empreendedorismo, com relação a artesanatos, e a gente vê que isso está fluindo, muitos saindo da situação de pobreza e evoluindo”, completou Eliane.


Comente