Política

Governador Waldez Góes exonera secretário de Desenvolvimento Rural do estado

A recomendação para a exoneração de Daniel Sebben, que passou menos de um mês no cargo, tem a ver com da Operação Shoyu, deflagrada pela Polícia Federal na quinta-feira (14)

Compartilhe:

Por Paulo Silva

Seguindo recomendação do Ministério Público Federal (MPF), o governador Waldez Góes (PDT) exonerou o engenheiro florestal Vanderlei Daniel Sebben Filho do cargo de secretário de Desenvolvimento Rural. A instituição considerou que a nomeação de um empresário do ramo da soja para a pasta denota conflito de interesses.

A recomendação para a exoneração de Daniel Sebben, que passou menos de um mês no cargo, tem a ver com da Operação Shoyu, deflagrada pela Polícia Federal na quinta-feira (14), para desarticular organização criminosa que desconstituía e reaplicava multas emitidas por órgãos ambientais em benefício de empresários produtores de soja, no Amapá.

A nomeação de Sebben, ex-presidente da Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja) para a Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) foi publicada no Diário Oficial do Amapá, em 25 de janeiro de 2019. Cabe à SDR a formulação e coordenação da política estadual de desenvolvimento agrícola, pecuária, aquícola pesqueira, florestal, extrativismo, da agroindústria e do abastecimento, defesa e inspeção animal e vegetal do Estado do Amapá. Para o MPF, havia a possibilidade de Vanderlei Daniel Sebben Filho, no exercício do cargo de secr etário de desenvolvimento rural, influenciar em atos de gestão que pudessem lhe beneficiar diretamente.

Em nota, emitida antes do decreto de exoneração, o governo do Amapá se manifestou oficialmente sobre a recomendação do MPF/AP para afastar do cargo o secretário da SDR, e esclareceu que a indicação de Daniel Sebben atendeu pleito de entidades proeminentes e representativas do setor produtivo local, consignada em carta por 15 instituições e encaminhada ao governador Waldez Góes.

O governo do estado esclareceu que, apesar de não concordar com o julgamento e condenação prévia de qualquer cidadão, seguiria a recomendação do Ministério Público Federal e substituiria o titular da Secretaria de Desenvolvimento Rural, com o compromisso de contribuir para que todos os questionamentos apresentados sejam dirimidos.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *