Política

Paulo Lemos descarta aliança com DEM e PSB para Prefeitura de Macapá

Deputado justifica dizendo que DEM, partido do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, não é aceito pela direção nacional do Psol, e que PSB terá candidatura própria em 2020.

Compartilhe:

Douglas Lima – Da Redação

 

 

O pré-candidato do Psol a prefeito de Macapá, deputado estadual Paulo Lemos, falou na manhã desta terça-feira (03), no programa LuizMeloEntrevista (Diário 90,9), que não será possível para as eleições de 2018 uma composição de seu partido com o PSB em virtude dessa legenda já ter definido que terá candidatura própria para o cargo.

Lemos registrou que em suas andanças para construção de alianças, visando o pleito majoritário de 2018, na capital, esteve em Brasília com o deputado federal Camilo Capiberibe e a ex-deputada federal Janete Capiberibe, mas que a conversa não prosperou em razão do plano já traçado pelos socialistas.

Também não será possível, disse Paulo Lemos na entrevista, uma composição com a Rede, do senador Randolfe Rodrigues, desde que essa agremiação venha a se aliar com o DEM do senador Davi Alcolumbre. “É determinação nacional do Psol não andar junto com DEM e PSDB, por exemplo”, destacou o deputado.

Paulo Lemos falou de uma pesquisa não oficial que dá número positivo ao seu nome, em relação à eleição municipal em Macapá e, como tem feito sempre, elogiou a gestão do prefeito Clécio Luis que, por sua vez, com a prerrogativa de apontar quem da Rede vai concorrer ao Palácio ‘Laurindo Banha’, vem protelando, prometendo, contudo, que em janeiro de 2020 divulgará o nome.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *