Política

Tjap discute a Justiça amapaense com a população

O evento vai ocorrer no plenário do Tjap (rua General Rondon – Centro) e vai reunir toda a estrutura do Poder Judiciário, com a presença – já confirmada – dos demais poderes, sindicatos, associações de classe, advogados, estudantes e pessoas do povo


 

Compartilhe:

 

esta segunda-feira, 9, será realizado o I Forum de Gestão Estratégica, promovido pelo Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap). O evento vai ocorrer no Plenário do Tjap (rua General Rondon – Centro) e vai reunir toda a estrutura do Poder Judiciário, com a presença – já confirmada – dos demais poderes, sindicatos, associações de classe, advogados, estudantes e pessoas do povo. “Vai ser um acontecimento inédito, de grande repercussão e impacto popular, por ser a primeira vez que a Justiça amapaense abre, literalmente, a sua realidade num evento popular – e eu não tenho conhecimento se algum outro órgão da Justiça já realizou uma audiência pública com essa proporção no país”, entusiasma-se o desembargador Carlos Tork.

Ao Diário (Jornal/Rádio/Revista/Portal) Tork explicou que o objetivo maior é pensar o futuro do Judiciário amapaense: “O Amapá está na ponta em termos de qualidade e celeridade na aplicação da justiça, empatado em primeiro lugar em produtividade com o Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Acre, mas não podemos nos acomodar, pelo contrário, temos que ser ainda mais ágeis e futuristas, por isso estamos realizando esse I Forum de Gestão Estratégica”, justificou.

Ao programa Togas e Becas, que tem como âncora o advogado Helder Carneiro, cuja bancada é composta pelos também advogados Wagner Gomes e Evaldy Mota, os consultores Jeann Karlo de Melo Vieira (eAD Pro) e Joel Solon Farias de Azevedo (Pro Valore), que organizam a audiência pública se disseram impressionados com a justiça do Amapá. “Eu sabia que o Judiciário amapaense é bom, mas constatei que não é só bom, é melhor ainda, composto de juízes e desembargadores de mente aberta, capacitados e competentes, o que se explica porque a justiça do Amapá é uma das melhores do País”, comentou Joel Solon.

O consultor explicou, também, que a audiência pública vai proporcionar uma integração maior entre todos os órgãos do Judiciário, inclusive integrando o Poder Executivo em várias ações: “Tem que haver um trabalho conjunto, integrado, com foco na sociedade, nos jurisdicionados. A Justiça do Amapá é muito boa, mas pode melhorar ainda mais, dependendo dessa integração, desse trabalho conjunto, envolvendo todos os poderes, o Ministério Público, a Defensoria Pública e a OAB”.


 

 
Compartilhe:

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *