Política

TRE indefere registro de candidatos do PT para todos os cargos na Eleição de 2018

O Ministério Público Eleitoral (MPE) sustentou que o Diretório do PT está com registro suspenso no Amapá por ausência de prestação de contas na Justiça Eleitoral.

Compartilhe:

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Amapá decidiu, em sessão realizada nesta quarta-feira (5), que o Partido dos Trabalhadores (PT) está impedido de participar das Eleições de 2018 no estado para os cargos de deputado estadual; deputado federal, suplente de senador e vice-governador. Foi considerado apto apenas o Partido Socialista Brasileiro (PSB), que precisará apresentar novo Demonstrativo de Regularidade de Atos Partidários (Drap).

 

O Diretório do PT está com registro suspenso no Amapá por ausência de prestação de contas eleitorais de 2015. O partido vem negociando para devolver, de forma parcelada, cerca de R$600 mil.

 

O único voto contra a decisão do tribunal foi dado pela juíza Sueli Pini, que votou pelo deferimento dos registros dos candidatos do PT. A medida atinge, além dos candidatos nas proporcionais, o primeiro suplente da candidata ao Senado Janete Capiberibe e o candidato a vice-governador Marcos Roberto.

 

O Ministério Público Eleitoral (MPE) sustentou que o Diretório do PT está com registro suspenso no Amapá por ausência de prestação de contas na Justiça Eleitoral.

Ainda cabe recurso ao TSE, mas antes, dentro do prazo de 3 dias, o PT  se valerá dos embargos de declaração junto ao TRE, por conta do voto divergente de Sueli Pini, no julgamento desta quarta 5. Dirigentes do partido, apesar dos mais baixos do que altos, em julgamentos recentes, seguem plenamente confiantes na aceitação dos registros de candidaturas e na consolidação da aliança com o PSB, de Capiberibe, como resultado final do embate na Justiça Eleitoral.

 

 

 

 


PPL E PATRIOTAS

Na mesma sessão, também com voto contrário da juíza Sueli Pini, o Tribunal Regional Eleitoral considerou que os partidos PPL e Patriotas estão inaptos a participar do processo eleitoral para os cargos de deputado estadual, federal, senador e suplente e governador e vice-governador em virtude suspensão de seus diretórios. Patriotas e PPL fazem parte da coligação “Trabalho e União pelo Amapá”, liderada pelo senador Davi Alcolumbre, candidato a governador pelo DEM.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *