Última Hora

Amapá é interligado ao sistema nacional de energia elétrica

A primeira das três linhas de transmissão em 69kV, que interliga a subestação Isolux Macapá foi energizada na tarde desse domingo, 1


Compartilhe:

O Amapá já faz parte do Sistema Interligado Nacional de Energia Elétrica (SIN), a partir da linha de transmissão Tucuruí-Macapá-Manaus, que permite a ligação dos estados do Amazonas, Amapá e do oeste do Pará. Com aproximadamente 1.800 quilômetros de extensão total em tensões de 500 e 230 kV em circuito duplo, ela passa por trechos de florestas e atravessa o Rio Amazonas.

A primeira das três linhas de transmissão em 69kV, que interliga a Subestação Isolux Macapá foi energizada na tarde desse domingo, 1, pela Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) e Eletrobras Eletronorte. De acordo com a diretoria Executiva da CEA, as outras duas linhas (Isolux Macapá a Macapá II) serão entregues na sequência, nos dias 15 e 29 de março, quando o sistema da Companhia de Eletricidade estará operando totalmente conectado ao Sistema Interligado Nacional, incluindo a Subestação CEA-Laranjal do Jari que fica localizada no município do mesmo nome.

As obras de conexão do Sistema CEA com o Sistema Nacional vão trazer melhorias na qualidade da energia elétrica ao Amapá, que passará a dispor de energia firme, continua e de qualidade, eliminando sua dependência de usinas térmicas movidas a óleo diesel. Entre os bairros de Macapá que já estão recebendo energia proveniente do sistema nacional estão Santa Rita, Trem, Centro, Nova Esperança, Cuba de Asfalto, Novo Buritizal, Congós, Alvorada, Cabralzinho, Goiabal, Ilha Mirim, Marabaixo I, II e III, Jesus de Nazaré e Laguinho.

No programa LuizMeloEntrevista, da Rádio Diário FM, o presidente da CEA, Ângelo do Carmo, explicou que até o final deste mês o Amapá estará totalmente interligado ao SIN: “Os trabalhos estão sendo feitos em períodos de menor consumo, inclusive de madrugada, para evitar transtornos à população. Logo em seguida serão interligadas as Subestações Macapá 2, Santana e Laranjal do Jarí, complementando a interligação, cujos serviços estarão concluídos até o fim de março”.

O presidente garantiu, também, que além de mais eficiente, o Amapá terá a chamada ‘energia limpa’, que é a proveniente de hidrelétricas: “Ao final do processo teremos disponível uma energia gerada exclusivamente por hidrelétricas, na mesma proporção disponibilizada a nível nacional, mas não descartaremos as usinas térmicas, que ficarão de reserva, prontas para entrar em funcionamento no caso de eventual ‘apagão’ nas linhas de transmissão”. Segundo ele, algumas dessas usinas já foram desligadas, por conta do suprimento da energia do Linhão de Tucuruí.

“Além da energia limpa e de qualidade, o Amapá poderá entrar, definitivamente na rota do desenvolvimento com a instalação de indústrias e ampliação e fortalecimento do comércio, porque temos energia elétrica suficiente para fomentar esse crescimento”, pontuou Ângelo, revelando, ainda, que várias empresas interessadas na compra direta de energia elétrica já têm procurado a CEA: “As grandes empresas compram a energia diretamente das distribuidoras, e isso também já começa a ser realidade no Estado”.

Com a interligação da Subestação Santa Rita, localizada na Zona Oeste, grande parte da cidade de Macapá vem recebendo energia proveniente do SIN. Segundo diretoria da companhia a interligação da primeira subestação vem materializar o sonho do povo amapaense de estar conectado ao Sistema Interligado Nacional, com energia firme e de qualidade. “Em nome da Diretoria Executiva eu parabenizo e cumprimento a todos os empregados e colaboradores por esse grande feito”, destacou Ângelo.

Para a diretoria Executiva, a integração do Amapá ao SIN faz parte de todo um processo de recuperação da empresa, que vem sendo cumprido em suas etapas, de acordo com as disponibilidades financeiras programadas.

 
Compartilhe:

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *