Política Nacional

PT segue estratégia para marcar território e registra candidatura de Lula a presidente

Ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad é o candidato a vice. No Amapá, partido não admite ‘plano b’ e garante que candidatura de Lula “é pra valer”.

Compartilhe:

RAMON PALHARES
CORRESPONDENTE EM BRASÍLIA

Seguindo a estratégia de marcar território, o Partido dos Trabalhadores (PT) registrou oficialmente no final da tarde desta quarta-feira (15) a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República. Eleito em 2003 e reeleito em 2006, quando foi sucedido pela ex-presidente Dilma Rousseff, que sofreu processo de impeachment e perdeu o cargo para o vice-presidente Michel Temer, Lula está preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR) em cumprimento antecipado à pena de 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O registro de Lula foi feito pela cúpula nacional do PT, à frente a presidente, senadora Gleisi Hoffmann, acompanhada do candidato a vice, Fernando Haddad, e de Manuela d’Ávila (PCdoB), tida como eventual vice de Fernando Haddad caso o registro de Lula venha a ser cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o que já é admitido internamente no PT, com base no fato de que Lula está inelegível com base na Lei da Ficha Limpa, pois já teve contra si sentença condenatória transitada em julgado em 2ª Instância.

Faixas e cartazes ostentados no ato público no entorno do TSE, por ocasião do registro da candidatura da chapa majoritária do PT, mostram que a maioria dos manifestantes é formada por militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e por outros movimentos sociais ligados ao PT. A chapa foi registrada com o nome ‘O Povo Feliz de Novo’.

Antes de entrar no TSE, a presidente do PT, em pronunciamento, repetiu o velho e batido bordão de que “Lula é um preso político”. Fernando Haddad disse que o registro da candidatura “põe fim ao golpe de 2016, que abalou os alicerces da nossa democracia”, referindo-se ao impeachment da ex-presidente Dilma. No ato do registro, Lula declarou  patrimônio de R$ 7,9 milhões.

“Candidatura pra valer”

Ouvido pela reportagem do Diário do Amapá, o presidente do PT no Amapá, Antônio Nogueira, ratificou o que vem afirmando desde a prisão do ex-Presidente e contestou informações dando conta de que a candidatura de Lula seria um ‘balão de ensaio’ para viabilizar uma chapa formada por Fernando Haddad (PT), tendo como vice Manuel D’Ávila (PCdoB). “Não temos ‘plano b’; nós não temos nem queremos. O nosso plano é único e o Lula será o candidato do partido à Presidência da República”.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *