Cleber Barbosa

Escuro

Ainda na zona norte, ficou boa (até agora) a duplicação da BR 210, em seus nove primeiros quilômetros. O único senão é o fato de terem tirado os postes de iluminação pública e não pensaram em por novos.

Será?

Surge um nome jamais testado nas urnas para a disputa pela Prefeitura de Macapá. Líderes teriam sondado João Alvarenga, do Sebrae, sobre uma eventual candidatura. Setor do empreendedorismo gosta dele.

Novo

Também poderá haver novidade na disputa pela Prefeitura de Santana, no próximo ano. Nome também do meio empresarial estaria sendo preparado para encarar as urnas. Como não a achei ontem, vou segurar.

Recursos

Um sujeito dizia ontem ter resistido muito aos smartphones. “Queria um celular para falar”, ele dizia. Mas depois que foi forçado a comprar um, não vive mais sem essa tecnologia. “Não entro mais em fila de embarque para fazer check-in, reservo hotel e faço a locação do carro, tudo pelo celular”, diz. 

Meios

O personagem da nota anterior é o empresário Caetano Pinto, que diz ter ficado meio “sem pai nem mãe” com o apagão do Whatsapp. De fato, além de um aplicativo da classe média, o povão usa também para fazer ligações de graça, pela internet dos aparelhos. A tecnologia é mesmo para ajudar a gente a tocar a vida!

Ops!

Tem gosto pra tudo, né? Na mídia também, como revistas e sites de fofocas, que vasculham a vida de celebridades e subcelebridades. Mas tem coisas que chegam a ser hilárias, pela futilidade. A manchete mais clicada neste ‘gênero’ foi aquela: “Caetano Veloso estaciona o carro no Leblon”.

Guerra

Quem você aposta que cai antes? Dilma ou Cunha? Olha, já esteve mais perto dela sair do Planalto do que ele deixar o Congresso. Mas mexidas no tabuleiro por parte da tropa de choque governista apontam para um possível afastamento dele do cargo. Aliás de ambos, deputado e presidente.

Inocente

Quase dez anos depois de ter seu nome lançado no rol dos suspeitos de corrupção, o ex delegado da Receita Federal do Amapá, Manoel Feitosa, foi inocentado em uma corte superior. Foi no STJ e ele agora espera a esfera administrativa para retornar ao trabalho.

Prisão

Feitosa e outras quatro pessoas, entre empresários e servidores da Receita e da iniciativa privada foram presos pela Polícia Federal, na chamada Operação Alecto, em 2006. Caberá uma boa reparação/indenização.

A hora

A coluna procurou o ex delegado, que disse não querer dar declarações por enquanto, pois espera agora o desfecho na esfera administrativa. Mas confirmou, aliviado, ter sido inocentado na esfera criminal.