Cidades

Chefe-geral da Embrapa Amapá diz que “desenvolvimento virá de base agrária”

Atividade agrícola está crescendo no estado, principalmente, com a agricultura familiar. Governo do estado também está investindo em pequenos agricultores.

Compartilhe:

Lana Caroline
Da Redação

 

Na tarde desta quarta-feira (21), o chefe-geral da Embrapa Amapá, Antônio Claudio Almeida de Carvalho, esteve no programa radiofônico Café com Notícia (Diário 90,9 FM), falando sobre a atividade agrícola no estado. Segundo ele, muitas pessoas acreditam que a agricultura brasileira é feita por grandes empreendedores do setor primário, mas, na verdade, a base são as pequenas propriedades rurais onde se desenvolve a agricultura familiar.

 

“Muitos acham que a agricultura é feita por grandes empresários do ramo, mas, na verdade, é a agricultura familiar que coloca alimentos na maioria dos supermercados. O agronegócio brasileiro é forte nas comodities, porque temos grandes áreas agricultadas e conseguimos ter altas produtividades. Hoje, conseguimos exportar e fortalecer o Brasil. A agricultura real acontece nas pequenas propriedades rurais”, afirmou Antônio Cláudio.

As produções agrícolas no Amapá já possuem um grande arranjo produtivo para abastecer o mercado local, porém, os agricultores precisam de recursos e tecnologia para melhorar a produtividade. “Temos vários produtores que conseguem abastecer o mercado local, mas ainda dependemos de muitos alimentos que vem de fora. A soma dos pequenos é que vai dar escala para que possamos abastecer o grande mercado no estado. Está faltando mais apoio e tecnologia para esses pequenos empreendedores”, pontuou.

 

No ano passado, os empreendedores tinham o produto no campo, mas acabaram prejudicados no momento do escoamento em razão das barreiras impostas pela pandemia do novo coronavírus. Com isso, os alimentos não chegaram às feiras e ao consumidor, o governo do estado, em apoio aos agricultores, está investindo R$ 8,5 milhões para os projetos de agricultura familiar. “ O ano de 2020 foi muito crítico. Muitos produtores não conseguiram escoar suas produções. Hoje, tudo mudou e estamos avançando bastante”, disse.

 

A Embrapa Amapá, mesmo em trabalhando em home office, continuou com as pesquisas de campo. Porém, é preciso evitar o contágio pela covid-19. “As unidades demonstrativas continuam sendo instaladas em área de produtores (que assim se tornam parceiros dos experimentos), mas fica complicado realizar as capacitações nestas unidades por causa da necessidade de nos mantermos afastados e evitar o contágio”, complementou o gestor.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *