Cidades

Covid-19: após 15 dias de isolamento social mais rígido, barreiras sanitárias e de trânsito contabilizam dados positivos da ação em Macapá

Participaram da ação a Companhia de Trânsito de Macapá, Guarda Civil Municipal, Corpo de Bombeiros, polícias Civil e Militar, e fiscais de diversas secretarias.

Compartilhe:

No período de 19 de maio a 2 de junho, a Prefeitura de Macapá colocou em prática o Decreto Municipal 2.058/2020, que adotou o sistema de rodízio de veículos para tentar inibir a ação da população nas ruas da capital como forma de combater a Covid-19. A determinação, que fez parte das medidas de isolamento social rígido aliadas às barreiras sanitárias e de trânsito, que foram realizadas em pontos estratégicos da cidade, mostrou que surtiu efeito. A população ficou mais em casa.

No período de execução do isolamento social rígido, mais de 100 estabelecimentos comerciais foram notificados por funcionarem em desacordo às medidas do Decreto Municipal. Ainda seguindo como medidas preventivas para evitar o avanço do novo Coronavírus, cerca de 300 vias e locais receberam o trabalho de desinfecção.

 

“O reflexo de que o Decreto Municipal deu certo pôde ser notado. Macapá, durante esse período, esteve entre as três capitais do país que mais conseguiram bons índices do isolamento social e isso mostra que foi uma ação positiva. Como resultado, esperamos que no fim desta semana e no início da outra o número de pessoas contaminadas possa cair, fruto desse trabalho”, disse Marcio Pimentel, coordenador das fiscalizações.

As barreiras sanitárias e de trânsito ocorreram em 7 pontos considerados de grande circulação de veículos. As entradas da cidade tiveram atenção especial e, ao todo, foram registradas 25.694 abordagens. Destas, 570 resultados em autos de infração pelo descumprimento do Artigo 187 do Código de Trânsito Brasileiro.

 

Segundo o diretor de Trânsito de Macapá, Manoel Filho, de um modo geral, os condutores entenderam a mensagem. “Nosso objetivo nunca foi multar, e sim orientar a população a ficar em casa. Dessa forma, a maioria entendeu e obedeceu às determinações previstas em decreto”, disse.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *