Cidades

MP-AP diz que prefeitura de Macapá descumpriu orientação para vacinar idosos

Promotora Fábia Nilci relatou à secretária da Semsa, Karlene Lamberg, que era inadmissível a situação em que se encontravam os idosos, na UBS São Pedro, com alguns sentados no chão.

Compartilhe:

O Ministério Público do Amapá (MP-AP) fiscalizou na manhã desta quinta-feira (06) as condições disponibilizadas pela prefeitura de Macapá para aplicação da segunda dose da vacina Coronavac para idosos, conforme cronograma divulgado. A promotora de Justiça de Defesa da Saúde, Fábia Nilci, foi até a Unidade Básica de Saúde (UBS) São Pedro, localizada no bairro Beirol, e constatou que a Secretaria Municipal de Saúde de Macapá (Semsa) não organizou o local para que os idosos pudessem manter o distanciamento.

Fábia Nilci relatou à secretária da Semsa, Karlene Lamberg, que era inadmissível a situação em que se encontravam os idosos, com alguns sentados no chão e sem espaço demarcado para que pudessem receber o imunizante de acordo com as medidas de prevenção à Covid-19.

A gestora do município justificou a aplicação da segunda dose da Coronavac, apenas na UBS São Pedro, por ter sido a que apresentou o maior número de idosos vacinados com a primeira dose.

Na última sexta-feira (30), em reunião com a secretária da Semsa, os ministérios públicos Estadual e Federal, com a Defensoria Pública do Estado (DPE-AP), antes da confirmação de envio pelo Ministério da Saúde (MS) de novas doses da Coronavac, orientaram para que o chamamento dos idosos fosse feito por data agendada para recebimento da D2, e não por nome, e que houvessem mais pontos para atendimento de um maior número de pessoas que precisam completar o esquema vacinal.

A promotora de Justiça disse que mais uma vez o Município de Macapá descumpre orientação das instituições que fiscalizam a execução do Plano Nacional de Imunização (PNI).

“É triste a situação que nos deparamos na UBS São Pedro, com idosos se aglomerando em busca da vacina, sendo que alguns relataram ter vindo cedo, de outros bairros distantes, por estarem com a data atrasada para recebimento da D2. Nós orientamos que a vacinação fosse feita em outras UBS, não só na São Pedro, e que as pessoas fossem chamadas por data de segunda dose não cumprida”, manifestou Fábia Nilci.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *