Última hora Polícia Política Cidades Esporte
Entrevista

“A digitalização organizacional é uma tendência”

Especialista e professor, Renato Halt, cofundador da b2finance, explica em detalhes para o jornal Diário do Amapá a importância desse tipo de investimento e seus benefícios para as empresas e o mundo corporativo de maneira geral.


Cleber Barbosa
da Redação

 

Diário do Amapá – Professor, em um mercado marcado pela digitalização organizacional, como investir em ferramentas que otimizem e automatizem atividades administrativas e operacionais?

Renato Halt – Por meio do BPO (Business Process Outsourcing), que é fundamental para a continuidade dos negócios. A digitalização organizacional é uma tendência sinalizada há anos e, impulsionada fortemente pela pandemia. Contudo, mesmo diante de tamanhos avanços tecnológicos, cerca de metade das empresas nacionais ainda estão longe de conquistar essa transformação, segundo um estudo feito pela Dell Technologies a Forrester Consulting. Nesse cenário, o investimento em ferramentas que otimizem e automatizem atividades administrativas e operacionais por meio do BPO é realmente muito importante.

 

Diário – Comandar um negócio requer grande organização e estratégia, não é mesmo?

Tiago – Numericamente, os negros representam cerca de 55% da população brasileira, segundo dados da Rede Brasil do Pacto Global. Mesmo sendo a maioria, apenas 5% chegam a ocupar cargos de liderança. Por muitos anos, a falta de preparo e qualificação profissional foi utilizada como justificativa para tal discrepância – argumento que hoje, se tornou inválido diante de tantas políticas públicas voltadas para este objetivo.

 

Diário – Em se tratando de conscientização, em esclarecimento da população a respeito desse tema, o que dizer?

Tiago – A depender do porte ou segmento, a quantidade de dados gerados e administrados diariamente é enorme. Os processos manuais de organização de documentos, digitação de notas de entrada, saída e relacionados ao envio da parte contábil, eram severamente demorados. Sem falar no alto risco de erros na anotação de dados e informações importantes ao negócio que, se seguirem incorretos, podem trazer consequências sérias..

 

Diário – E comop estão os números em relação a essa migração para o digital, digamos assim?

Tiago – Cerca de 73% das companhias brasileiras já orientam seus negócios por dados, mas apenas 28% afirmam que os tratam da forma adequada, ainda segundo o mesmo estudo. Para piorar, o entendimento de origem empresarial em lucro simples, real ou presumido, por dependência de análise na Receita Federal, é mais uma burocracia que poderia ser otimizada com a digitalização dos processos internos por meio do BPO.

 

Diário – A terceirização, seja ela completa ou parcial da gestão financeira do negócio, é benéfica como estratégia interna?

Tiago – Além de automatizar processos que antes demandavam grande tempo e trazer a segurança devida aos dados sigilosos, a redução de custos durante o processo é significativa. O desenvolvimento de bots é uma das estratégias mais adotadas e valorizadas pelas organizações. Independentemente de seu porte ou segmento, esses robôs auxiliam na captura e leitura dos documentos cadastrados no sistema, facilitando a rotina interna dos responsáveis por esse departamento. Existem diversos sistemas de gestão no mercado, cada qual com suas características e usualidades – que devem ser analisados cuidadosamente a fim de selecionar o ideal que atenda as demandas do seu negócio. Mesmo que ainda não tenhamos um mercado 100% digitalizado, o caminho é próspero. Para que possamos percorrer esse processo com eficiência, a mudança interna de mindset é indispensável. Migrar do físico para o digital não é fácil, principalmente dentre aqueles que já estavam acostumados com métodos gerenciais predominantemente manuais. Estamos lidando com uma inovação cultural que, deve ser lidada adequadamente dentre todos os membros da empresa.

 

Perfil

Renato Halt – Graduado pela Pontificia Universidade Católica de São Paulo – PUC/SP em Contabilidade e MBA em Tributário, possue larga experiência em Auditoria, Finanças e Contabilidade atuando como CFO em empresa Global e como Partner na b2finance.

A trajetória da consultoria

– Presente no mercado há mais de 27 anos, a b2finance é uma empresa do canal SAP, representando a horizontal de BPO dentro da SAP no ERP SAP Business One. A empresa apresenta vasta experiência em Outsourcing Contábil, Financeiro, Fiscal e Folha de Pagamento e apresenta-se ao mercado com a proposta de ser uma extensão de seus clientes, buscando alternativas para os negócios empresariais com uma visão simples e objetiva para que seus clientes possam se dedicar exclusivamente aos negócios.

O início e a escolha da carreira

– Nosso especialista diz ter ficado na dúvida entre Economia, Administração e Ciências Contábeis e optou pela última ao se inscrever para o vestibular.
– Com seis meses de faculdade, começou a trabalhar no Bradesco Previdência, na área de contabilidade. Naquela época, a PWC era quem auditava o banco e eu se identificou muito com a área.


Comente