Última hora Polícia Política Cidades Esporte
Entrevista

Coronel Heliane: um pouco mais sobre a nova Comandante-geral da PM

Em 78 anos de instituição, é a primeira vez que uma mulher assume o mais alto posto da PMAP.


Railana Pantoja
Editora-chefe

 

Nesta quarta-feira (18), aconteceu a transmissão do comando da Polícia Militar do Amapá (PMAP). A Coronel Heliane Braga de Almeida, de 41 anos, é quem assume o mais alto posto dentro da instituição militar, no lugar do coronel Paulo Matias, que comandou desde 2019 a corporação.
É a primeira vez, em 78 anos de instituição, que a polícia militar do estado terá uma mulher como Comandante-geral. No Brasil, é a terceira vez que uma mulher comanda uma PM.

Perfil
Heliane Braga de Almeida ingressou nas fileiras da polícia em 1999, tendo 23 anos de corporação. Ela é casada há 16 anos com o coronel da PM Aldinei e tem dois filhos: Vítor e Ana Clara.

É bacharel em Segurança Pública pela Academia de Polícia Militar do Cabo Branco/Universidade Estadual da Paraíba (2001). É bacharel em Fisioterapia pela Faculdade Seama (2007) e bacharel em Direito pela Universidade Federal do Amapá – Unifap (2017).

Na PM/AP, a coronel Heliane já foi comandante do Batalhão de Policiamento Rodoviário Estadual (BPRE), do Pelotão do Centro de Formação da corporação, da Companhia Independente de Trânsito, do Centro de Formação e Aperfeiçoamento.

Também foi diretora-adjunta de Comunicação Social, subcomandante do 1° BPM, do Batalhão Ambiental, diretora-adjunta de pessoal e de ensino e instrução.

 

Em conversa com o portal Diário, a comandante falou mais sobre expectativas e planos de gestão.

Diário- Quando recebeu o convite para assumir o comando da PM?
Cel. Heliane- Recebi o convite há duas semanas, inclusive num primeiro momento, justamente por ter nossas multitarefas de condutora de lar, mãe e esposa, eu pedi um tempo para tomar a decisão, pois não posso deixar essas responsabilidades de fora.

 

Diário- Como é para você alcançar o comando da PM, em um espaço que ainda é formado em maioria pelos homens?
Cel Heliane- Eu me sinto extremamente orgulhosa de ter sido indicada a esse cargo, sobretudo porque foi levado em consideração e fator preponderante as minhas características, principalmente sobre os trabalhos que já comandei. A minha gestão, meu senso de justiça, a organização; enfim, vários fatores que contaram muito para o governador e me levaram a essa árdua, mas gratificante missão. A gente jamais pode confundir os aspectos de docilidade inerentes ao jeito de ser feminino com fragilidade.

 

Diário- A senhora se sente habilitada para a função?
Cel Heliane- Sim. Claro que assim como em tudo, na instituição militar a mulher está sempre sendo testada, lá não é diferente da vida aqui fora. Não que a mulher precise, mas ela está sendo testada sempre, sim. Mas, graças a Deus nesses 23 anos fui muito bem testada, passei por várias unidades operacionais, gabinete e diretorias.

 

Diário- A senhora já teve um momento para dialogar com os batalhões?
Cel Heliane- Esse momento a gente vai iniciar a partir de amanhã (19), quando tenho uma reunião agendada com o alto escalão da PM. Embora eu já tenha sido empossada e esteja atuando, hoje (18) que serei apresentada formalmente à tropa. Minha intenção é começar visitando os batalhões dos interiores.


Comente