Entrevista

“Vamos levar um modelo empresarial, gastar menos e fazer mais”

Um dia depois de tomar posse como oitavo prefeito eleito de Macapá, o médico Antônio Furlan diz buscar repetir sucesso de administrações públicas que levaram modelo empresarial de gestão, na busca sempre por resultados para o povo.

Compartilhe:

Cleber Barbosa
Da Redação

 

Diário do Amapá – Um dia depois da posse na Câmara Municipal o que o senhor pode falar a respeito deste novo desafio profissional em sua carreira como homem público?
Antônio Furlan – Realmente ontem foi um dia muito especial, com a cerimônia de posse na Câmara de Vereadores, que marca o início de nossa gestão, mais quatro anos aí de muita luta, muito trabalho em prol do povo de Macapá.

 

Diário – E o fato de ter recebido a faixa das mãos do antecessor, algo também muito comentado nas redes sociais, maturidade política e educação essa transmissão do cargo foi algo representativo para o senhor?
Furlan – Sim, com certeza. O período eleitoral termina no ato da diplomação, então nós como políticos e homens públicos temos que ter maturidade de entender que isso faz parte do processo, finda um mandato e começa outro, como da mesma forma daqui a alguns anos vamos ter que fazer isso para o nosso sucessor, então é realmente um momento importante da democracia e deve ser desse jeito. Tudo que não for dessa forma está errado, então o embate é político no período eleitoral e depois temos que todos pensar no povo de Macapá.

 

Diário – O senhor costuma acordar muito cedo, o que seria horário de médico e não de prefeito. Como irá conciliar as duas atividades?
Furlan – Eu hoje [ontem] acordei às 5 horas da manhã, fiz a minha corrida lá na orla do Rio Amazonas, pratiquei a minha atividade física, e já estou indo trabalhar na prefeitura. Então essa é a nossa batida, uma batida de muito trabalho, muita luta, então a gente não vai mudar muita coisa não, só promete muito empenho para a população de Macapá.

 

Diário – E essa história de “prefeitão”, foi uma estratégia de marketing, foi uma coisa que surgiu naturalmente e como o senhor internalizou isso, pois parece que tem tudo a ver exatamente com aquela imagem na corrida na orla?
Furlan – Na verdade a ideia do prefeitão é muito ampla. Seria o prefeitão dos projetos, o prefeitão das ideias, o prefeitão que vai buscar resolver os problemas, aí coincidiu com o meu tamanho um pouco avantajado, sou um pouco grande, tenho 1,90 metro de altura, além do costuma da prática de atividades físicas, algo que faço desde a minha infância. Mas foi sim uma estratégia de marketing do nosso grupo e que a população acatou muito bem, mas não é só em relação à parte física, é uma ideia de passar um prefeito que abrange todos os problemas da cidade e que os enfrenta.

 

Diário – E por falar nos problemas da cidade o período eleitoral é bom para se discutir as melhores soluções, algo que as pessoas queriam ver sempre sendo levantado. São seus problemas também agora, não é?
Furlan – Sim, a gente passa a ter uma responsabilidade muito grande, com toda a população. O que a gente precisa mudar um pouco na política é deixar para fazer as entregas sempre próximo das eleições, mas sim ir resolvendo os problemas e ir virando as páginas e trabalhando muito, é isso que a gente quer fazer. Eu tenho na minha vida uma prática de enfrentar os problemas sem deixar para o outro dia, então a nossa ideia é realmente trabalhar, tomar conta da população, mas lógico, temos problemas que são crônicos, como o fato de termos apenas 5% de saneamento básico em nosso estado e Macapá por ser a maior cidade concentra a maior parte desse problema. Isso você não resolve do dia para a noite, mas você tem que enfrentar, tem que buscar alternativas para resolver.

 

Diário – O senhor além de médico se notabiliza como um empreendedor de sucesso. É possível levar alguns princípios da gestão empresarial para a prefeitura?
Furlan – Com certeza. Você precisa tratar o setor público como uma empresa, não que necessite auferir lucro, mas que consiga ter uma gestão eficiente, gastar menos e fazer mais, tem que ter o respeito com o dinheiro público, então nós vamos levar sim um modelo de gestão empresarial como você falou, mas deixando muito claro que a prefeitura não é empresa privada e não tem como objetivo auferir lucro, mas sim oferecer um serviço de qualidade para toda a população.

 

Diário – Como médico, saúde é prioridade?
Furlan – Sim, por isso falei do saneamento básico, a origem de muitas doenças, por isso vamos lutar por água tratada e ir além, serviços médicos, prevenção e, claro a vacina contra o Covid.

 

Perfil

Antônio Furlan – O médico Antônio de Oliveira Furlan é casado e pai de 7 filhos. Especialista em Cardiologia e também Cirurgia, conduziu paralelamente a vida pública agora em seu terceiro mandato de deputado estadual.

 

Breve perfil profissional e pessoal

-O prefeito Antônio de Oliveira Furlan (Cidadania) tem 47 anos, e mora na cidade de Macapá há 17 anos.
– Dr. Furlan, como é chamado, é casado com Rayssa Furlan, e tem 7 filhos.
– Dr. Furlan nasceu na Costa Rica, quando os pais dele, José e Mirian, mudaram de país pra estudar.

A nacionalidade é brasileira em sua autoapresentação

– “Meu pai é paulista, engenheiro agrônomo. E minha mãe é de Belém. E ele, logo que formou, muito novo, foi pra Costa Rica fazer um mestrado. E acabou que eu nasci na Costa Rica, mas com 10 meses eu já estava no Brasil. Minha nacionalidade é brasileira porque filhos de pais brasileiros que estudam ou trabalham em outro país são brasileiros”, descreveu.

Vitória nas urnas e conquista do mandato

O médico e deputado estadual Antônio Furlan (Cidadania) foi eleito prefeito de Macapá (AP) no dia 20 de dezembro de 2020, com 55,7% dos votos, dentro de 99,4% das urnas apuradas, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *