Política

Com altas de internação, Amapá anuncia lei seca e avalia abertura de nova unidade Covid

Segundo o Governo do Amapá, “há três semanas é observada a alta constante de internações no Centro Covid HU”. Ainda na noite desta segunda (1) o governador assinou o novo decreto com medidas restritivas e de proteção à vida, tendo como novidade a lei seca aos fins de semana.

Compartilhe:

Railana Pantoja
Da Redação

 

Em coletiva de imprensa na tarde desta segunda-feira (1), o Governo do Amapá apresentou dados do novo relatório epidemiológico sobre o coronavírus.

 

De acordo com o documento do Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública (COESP), há três semanas é percebido uma alta consecutiva nas internações em UTIs do Covid HU e também no atendimento das UBSs Covid, bem como maior quantidade de medicações dispensadas.

“Mesmo com a abertura de novos leitos, temos elevada ocupação, cerca de 79%. Vamos avaliar amanhã (2) os dados do domingo (28) e da segunda (1), juntamente com o que já temos, e no decorrer da semana teremos o resultado. Por enquanto, a nossa decisão é manter o atual decreto de medidas de proteção à vida”, falou o governador do Amapá, Waldez Góes.

 

Ainda na noite desta segunda (1) o governador assinou o novo decreto com medidas restritivas e de proteção à vida, tendo como novidade a lei seca aos fins de semana no estado durante os próximos 15 dias.

 

“Vamos manter todas as medidas anteriores, mas adotando algo que fizemos no Carnaval: proibindo consumo de bebida alcoólica em qualquer local público na sexta, sábado e domingo. A gente faz isso para evitar aglomeração, sabemos que a bebida reúne muitas pessoas e como consequência temos maior exposição ao vírus”, finalizou Waldez Góes.

 

Segundo o secretário de saúde do Amapá, Juan Mendes, o governo já estuda a possibilidade de abertura de uma nova unidade de atendimento Covid, para dar suporte ao HU caso continue aumentando o número de internações.

“Temos duas sugestões: a primeira seria abrir, dentro do HU, na ala clínica, mais um espaço de UTI. Ou seja, mudar a característica de leitos de determinada área do Hospital. A segunda opção seria ampliar a oferta de Centro Covid, mas, todos sabem que montar leitos de terapia intensiva dá muito trabalho, é complexo e demanda apoio logístico maior”, apresentou Juan.

Risco alto

No relatório anterior, apenas três municípios apareciam na cor vermelha, que representa risco alto. Agora, a lista apresenta Macapá, Santana, Porto Grande, Vitória do Jari, Laranjal do Jari e Pedra Branca do Amapari.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *