Política

Coronavírus: Amapá sai do risco moderado e entra no nível baixo de alerta, aponta parecer técnico

De acordo com o governador Waldez Góes, seis municípios já estão na fase de risco muito baixo, mas a expectativa é de que os 16 municípios do estado entrem nesse nível.

Compartilhe:

Railana Pantoja
Da Redação

 

Durante coletiva de imprensa na tarde desta segunda-feira (10), o governador do Amapá, Waldez Góes,  e integrantes do Comitê Científico de Combate à Covid-19 apresentaram novo parecer técnico com dados relacionados à Covid-19. Diferente da semana passada, o estado saiu da cor laranja (risco moderado), com 9 pontos, e entrou na amarela (baixo), com 4 pontos, mesmo com a continuação da reabertura gradual das atividades econômicas e sociais. Isso significa que os municípios podem continuar flexibilizando sem ofertar grande risco à população.

 

“Nos casos confirmados a gente continua numa crescente, mas isso não ruim, já que somos um estado que não parou de testar, esta é uma das principais recomendações da OMS e do Ministério da Saúde. Quem mais testa, mais identifica e tem maior capacidade de dar assistência. Está crescendo o número, mas está relacionado à capacidade de testagem. Cresceu também o índice de recuperados, estamos nos aproximando de 69%. Estabilizamos os óbitos, comparando as semanas epidemiológicas. De 19 de julho a 8 de agosto temos 21 dias de estabilização, uma média de menos de 1 por dia, é interessante a gente observar isso”, apresentou Waldez Góes.

 

O governador informou também que o estado não possui leitos de UTI pediátricos ocupados até esta segunda (10), seja na rede pública ou privada.

“Clínico-pediátrico no público temos 35% de ocupação, no privado 38%. Clínico-adulto a ocupação é de 22% no público e 23% no privado. Na UTI de adultos da rede pública a nossa ocupação é de 23%, no privado é 35%. E, nas UTIS públicas e privadas estamos zerados, não temos leitos pediátricos de UTI ocupados”, anunciou o governador.

 

Classificação de riscos

“A gente pega a parte epidemiológica, com três indicadores, e a parte da assistência na saúde. Aí a gente pontua cada um desses e avalia as medidas de distanciamento de acordo com as cores”, explicou Waldez.

 

As cores Laranja (moderado), Vermelho (alto) e roxo (muito alto) apresentam risco potencial à estabilização da pandemia e, caso o estado entre nessas cores, as medidas de distanciamento e flexibilização precisarão ser reavaliadas. Já as cores verde (Muito baixo) e amarelo (baixo) apontam que a retomada gradual das atividades não está ameaçando o processo de estabilização e podem ser continuadas se os prefeitos assim optarem.

Atualmente o Amapá tem seis municípios com nível muito baixo, são eles: Calçoene, Serra do Navio, Pracuúba, Ferreira Gomes, Cutias e Vitória do Jari. Oiapoque, Pedra Branca, Mazagão, Santana, Itaubal, Tartarugalzinho e Amapá estão no nível baixo. Laranjal do Jari, Macapá e Porto Grande seguem com risco moderado.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *