Política

Davi consegue liberação de RS 534 milhões do BNDES para projetos no Amapá

O anúncio foi feito por Davi Alcolumbre ao governador do Amapá, Waldez Góes (PDT), em reunião na residência oficial, em Brasília.

Compartilhe:

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (Democratas-AP), conseguiu a liberação de recursos do Banco Nacional do Desenvolvimento Social (BNDES) para a execução de obras nas áreas da Educação, Saúde, Segurança Pública, Infraestrutura e Habitação no Amapá. O anúncio foi feito por Davi Alcolumbre ao governador do Amapá, Waldez Góes (PDT), em reunião na residência oficial, em Brasília.

Os recursos, que somam R$ 534 milhões, estavam parados há seis anos, porque o governo do Amapá estava inadimplente com o BNDES. Foi a capacidade de negociação de Davi que possibilitou o governo do estado a repactuar com o banco e, desta maneira, se tornar apto a receber a esses valores.

O governador Waldez Góes pediu ajuda ao presidente do Senado, que, como parlamentar amapaense, pauta sua atuação política de forma suprapartidária em prol do estado. Davi, então, deu início a uma série de tratativas com o presidente do BNDES, Gustavo Montezano.

Waldez  explicou que a operação de crédito já havia sido aprovada pelo governo federal, contudo, faltava o credenciamento dos recursos por parte do BNDES.

“O acesso aos valores só foi viabilizado devido a atuação do senador Davi” – reconhece o governador.


ACORDO – “O Programa de Desenvolvimento Humano Regional Integrado (PDRI) é um financiamento de R$ 980 milhões junto ao BNDES, celebrado em 2013, que, após execução de R$ 600 milhões, teve seus desembolsos suspensos. Após longas tratativas sem sucesso entre o governo do estado e o banco, inclusive em 2019, a articulação do presidente do Congresso, senador Davi, foi decisiva para o saneamento da questão”- explica o secretário do Planejamento do Amapá, Eduardo Tavares.

“Com a construção desse acordo, que teve a participação essencial do senador Davi, o Amapá retoma o financiamento do BNDES, no valor de R$ 534 milhões. Sem dúvida, a atuação do presidente do Senado foi fundamental neste processo de retomada dos aportes desses recursos” – pontuou Tavares.

“Essa vitória foi fruto de muito trabalho. Tivemos diversas reuniões, Waldez e eu, com o presidente do BNDES e, assim, com o acordo repactuado entre o governo do estado e o banco, conseguimos destravar o acesso a esses recursos, no valor de R$ 534 milhões. Estamos cumprindo com a nossa obrigação de trabalhar – e muito – pelo Amapá”, afirmou Davi.


OBRAS – Os recursos vão custear 20 obras em todo o estado. Entre elas, a construção da Unidade de Nefrologia da Zona Norte; de escolas nos conjuntos habitacionais Miracema e Macapaba; a conclusão do Hospital da Criança e do Adolescente, em Macapá; a conclusão do Hospital Estadual de Santana (HES); além do Plano de Mobilidade Urbana do município de Oiapoque.

“Nós iremos marcar um evento para apresentar cada um dos projetos à sociedade. Vamos construir um cronograma de execução, porque a ideia é licitar todas essas obras até o fim de 2019 e já iniciá-las ano que vem. O prazo de conclusão é de três anos”, disse Góes.

“É uma conquista enorme, que o Amapá aguardava há seis anos. Solucionar a pendência burocrática foi um trabalho de articulação política que deu certo. A liberação do empréstimo vai aquecer a economia e gerar mais de 3 mil empregos diretos. Foram meses de esforços e negociação que resultaram em vitória extraordinária para todos os amapaenses” – comemorou Davi.

Assessoria de Imprensa
Senado Federal

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *