Política

Em Brasília, Waldez preside primeira reunião do Consórcio Interestadual da Amazônia Legal

O encontro que acontece no B Hotel, está sendo promovido pelo governador do Amapá, Waldez Góes, eleito presidente do Consórcio criado no último Fórum de Governadores realizado no mês março em Macapá.

Compartilhe:
Foto: Marcelo Loureiro/Secom

Os governadores dos nove Estados que compõe a Amazônia Legal (Amapá, Acre, Maranhão, Amazonas, Mato Grosso, Roraima, Pará, Rondônia e Tocantins) se encontram nesta terça-feira (23) em Brasilia para a primeira reunião do Consorcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal. O encontro que acontece no B Hotel, está sendo promovido pelo governador do Amapá, Waldez Góes, eleito presidente do Consórcio criado no último Fórum de Governadores realizado no mês março em Macapá.

O Consórcio é uma autarquia na modalidade de associação pública, com autonomia para captar recursos, promover investimentos e executar projetos de interesse comum aos nove estados da Amazônia brasileira.

Os governadores vão deliberar sobre o Plano de Ação com as tratativas para a instalação do Consórcio mediante a elaboração do planejamento estratégico da autarquia que terá sede na capital federal.

Na pauta ainda está a discussão do Estatuto de funcionamento do Consórcio e a proposta de criação de um Fundo para o desenvolvimento da Amazônia Legal.

A encerra com uma reunião conjunta dos governadores da Amazônia Legal e dos  governadores do Nordeste. Waldez Góes e o governador do Piaui, Welington Dias, que preside o Consorcio Interestadual da Região Nordeste, promovem o encontro conjunto para definirem uma agenda comum das duas regiões do país.

Góes destaca que o consórcio constitui uma importante ferramenta dos gestores da região para propor e implementar políticas públicas para superar a crise economica. “Por meio do consórcio, podemos elaborar projetos e buscar recursos para ações prioritárias e comuns a todos os estados participantes”, afirma.

O principal objetivo dos gestores, ao criar o consórcio, foi impulsionar o desenvolvimento sustentável dos estados membros e ampliar a competitividade da economia dos nove estados. Por meio do Consórcio dos governadores, formulam estratégia para implementação de uma agenda comum de programas e projetos prioritários, voltada a ampliar os fatores de competitividade e sustentabilidade da região, considerando o potencial de sua economia, de seus recursos ambientais, logística, população e os desafios, também comuns.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *