Última hora Polícia Política Cidades Esporte
Política

“Está havendo negligência por parte do legislativo municipal”, diz vereador que pede afastamento do prefeito de Porto Grande

Afastado do cargo desde o dia 28 de abril, pelo Tribunal Regional Federal (1ª região), José Maria Bessa é alvo de investigações que resultaram em três operações da Polícia Federal na prefeitura do município.


Rodrigo Silva
Política

O Vereador Alex Lopes (Progressistas) informou nesta quarta-feira (18), durante o programa Luiz Melo Entrevista (Diário FM 90,9), que também entrou com o pedido de afastamento, no legislativo municipal, do prefeito de Porto Grande, José Maria Bessa (PDT).

Afastado do cargo desde o dia 28 de abril, pelo Tribunal Regional Federal (1ª região), José Maria Bessa é alvo de investigações que resultaram em três operações da Polícia Federal na prefeitura do município.

O parlamentar também disse que o requerimento vem enfrentando resistência por parte da base aliada do prefeito e que já se passaram 3 sessões, desde o afastamento de Bessa, e nenhuma providência é tomada pela Mesa Diretora da Câmara Municipal de Porto Grande.

“Está havendo uma negligência por parte do legislativo municipal de Porto Grande. Entrei com um pedido à Mesa Diretora da Câmara, pois é um ato exclusivo da presidência, solicitando o afastamento do prefeito para, diante do referido processo, ter o amplo direito de defesa e contraditório e assim fazermos o julgamento do chefe do executivo municipal”, destacou Alex.

De acordo com as investigações da PF, parte do dinheiro desviado na Prefeitura de Porto Grande era destinada pelo prefeito Bessa a vereadores do município, mensalmente, para que o chefe do Executivo Municipal mantivesse o apoio político. O valor pago era de dois mil reais para cada vereador, sendo 4 da atual legislatura e 3 vereadores da passada.

O presidente da Câmara Municipal, vereador Narson da Silva Santos (PL), também é alvo das investigações .

A reportagem do Diário do Amapá tentou contato com a assessoria do prefeito afastado e da presidência da Câmara de Vereadores, mas não obteve resposta até a publicação da matéria.


Comente