Política

Fátima Pelaes discute empoderamento das mulheres rurais em encontro da ONU

O governo federal, representado por Fátima Pelaes, falou pela primeira vez em nome da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Compartilhe:

A titular da Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM), Fátima Pelaes, está em Nova Iorque (EUA) chefiando a delegação brasileira que participa dos 62 anos da Comissão sobre a Situação da Mulher (CSW), evento que iniciou ontem e vai até 23 de março. Dentre os temas debatidos está o empoderamento das mulheres e meninas rurais. O governo federal, representado por Fátima Pelaes, falou pela primeira vez em nome da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). Primeiramente, Pelaes se reuniu na Missão Permanente Junto à ONU sobre a CSW. Depois, em seu pronunciamento, a secretária disse que o esforço comum na temática de gênero é essencial para alcançar o desenvolvimento sustentável, a promoção da segurança alimentar, o fortalecimento das economias locais e a erradicação da fome, dentre outros objetivos. A secretária lembrou ainda que, em 2017,em reunião em Brasília, CPLP estabeleceu 2018 como “O Ano de uma Vida Livre de Violência contra as Mulheres e Meninas”, tema que será lançado na CSW.A CPLP entende ser necessário investir na alfabetização de mulheres e meninas rurais a fim de capacitá-las para que possam participar ativamente da construção da sociedade. O Brasil é referência na CPLP com ações como a Lei Maria da Penha e a Lei do Feminicídio. A secretária acrescentou ser fundamental ampliar as medidas de combate de todas as formas de violência e discriminação contra mulheres e meninas.

 

Saúde
No discurso, Pelaes destacou ainda a importância do acesso à saúde e aos direitos sexuais e reprodutivos das mulheres rurais a fim de reduzir a mortalidade mortalidade materna no campo. E enfatizou que a dificuldade de acesso a registros de nascimento e documentos no meio rural deve ser superada para que não se torne obstáculo para promover o trabalho decente para mulheres rurais. Fátima Pelaes insistiu que a CPLP tem compromisso de reforçar a cooperação multilateral, baseada na promoção de políticas direcionadas, ”para a equidade, igualdade de gênero e empoderamento da mulher”.

 
Compartilhe:

Tópicos: