Política

Governo do Amapá e Caixa Econômica definem retomada de projetos em áreas prioritárias 

Setores de habitação, crédito e saneamento foram elencadas como prioridade nesta quinta-feira, 9, durante videoconferência

Compartilhe:
Atualmente o Amapá possui 57 operações com o banco, o que representa um total de R$ 500 milhões a serem investidos no desenvolvimento regional / Foto: Marcelo Loureiro / Secom

O Governo do Amapá definiu como prioritária a retomada de projetos nas áreas de habitação, saneamento e crédito durante videoconferência realizada nesta quinta-feira, 9, com a Caixa Econômica Federal.  

Atualmente o Amapá possui 57 operações com o banco, o que representa um total de R$ 500 milhões a serem investidos no desenvolvimento regional. 

Durante a discussão, os representantes da Caixa Econômica apresentaram o “Caixa Mais Desenvolvimento”, que, para garantir a retomada de investimentos, traz ações adotadas pelo banco como a prorrogação dos prazos de vigência de contratos até 31 de dezembro de 2020 e a possibilidade de utilização de certificado digital. 

Na oportunidade, o governador do, Waldez Góes, apresentou alguns pontos que o Estado tem interesse em priorizar junto ao banco: transferência de recursos públicos; operações de crédito; habitação; saneamento e infraestrutura e transferência de renda. 

Como exemplo, Waldez citou a obra do Conjunto Habitacional Miracema, que tem sua primeira fase prevista para ser entregue no início de 2021. Para as próximas fases da obra, o Governo do Amapá já depositou 100% da contrapartida. 

 

Ampliar parcerias  

O chefe do executivo estadual também reafirmou o interesse do Estado em ampliar as parcerias de negócio com o banco para a execução de projetos que garantam o desenvolvimento regional. 

“Sempre sinalizamos com o desejo e a vontade política de ampliar essa relação de negócios com a Caixa, e isto é representado pelas atitudes dos nossos colaboradores, e apoiada pelas lideranças parlamentares que incansavelmente disponibilizam recursos para essa transferência nos contratos com o banco em obras no Amapá”, comentou o governador. 

Todos os projetos serão discutidos de forma segmentada por técnicos do governo e da Caixa Econômica para que o Estado possa cumprir os prazos e utilizar todos os recursos que estão disponíveis para serem investidos. 

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *