Política

Ministro assegura que Amapá volta a ter energia 100% no dia 26 de novembro

Bento Albuquerque afirmou que subestação Macapá volta a operar com carga máxima dia 26 de novembro. Geradores que entram em operação no sábado (21) podem não garantir o fim do rodízio.

Compartilhe:

Elden Carlos e Rodrigo Silva
Da Redação

 

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou na noite desta quinta-feira (19) durante entrevista coletiva no Palácio do Setentrião, que o restabelecimento completo da energia no Amapá acontecerá na próxima quinta-feira (26), quando o transformador da subestação Macapá inicia o processo de operação junto ao sistema nacional.

 

Bento Albuquerque reafirmou que o governo Federal e o Comitê de Crise, criado para gerir a crise energética no Amapá, estabeleceu como prioridade a retomada do fornecimento do serviço no estado.

 

“A meta prioritária é restabelecer o fornecimento de energia elétrica no Amapá. Estamos assegurando que isso ocorre, em 100%, a partir do dia 26 de novembro, quando o transformador trazido de Laranjal do Jari entra em operação. Foi necessária, como lembrou o governador Waldez, uma logística de guerra para transportar esse equipamento que pesa 120 toneladas. O cronograma apresentado pela empresa LMTE [Linhas de Macapá Transmissora de Energia] nos dá a segurança de que o estado amapaense volta a ter sua capacidade total de energia a partir da próxima semana”, assegurou.

 

Neste sábado (21) entram em operação, nas subestações Santana e Santa Rita, os 44 grupos geradores trazidos de Manaus (AM), que irão garantir a carga de mais 45 megawatts. O presidente da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), Marcos Pereira, declarou que o restabelecimento em 100% e consequente fim do rodízio, a partir de sábado, vai depender do comportamento dos usuários do sistema e das condições climáticas.

“Se os usuários do sistema não colaborarem com a redução de equipamentos ligados, pode não ser possível que o sistema de rodízio seja interrompido. As condições climáticas também influenciam. Se tivermos dias calorentos o uso de centrais de ar e ar condicionado aumenta, causando essa sobrecarga. O interessante é que tenhamos dias nublados e com chuva e que a população realmente colabore nessa retomada”.

Imagens: Gabriel Penha

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *