Política

Ministro de Minas e Energia chega ao Amapá para avaliar crise energética

Bento Albuquerque chegou à Macapá na tarde desta quinta-feira (19), fez uma inspeção na subestação Macapá, onde ocorreu o incêndio, mas informou que somente falaria com a imprensa após reunião avaliativa com Comitê de Crise.

Compartilhe:
Fotos: Gabriel Penha

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, desembarcou por volta de 15h30 desta quinta-feira (19) no aeroporto internacional de Macapá (AP) para cumprir uma extensa agenda relacionada à crise energética instalada no estado desde o início do apagão, em 3 de novembro, quando a subestação Macapá foi atingida por um incêndio.

 

Bento Albuquerque chegou ao estado acompanhado por representantes da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), além de secretários do próprio ministério.

Após o desembarque o ministro seguiu direto para a subestação Macapá, onde teve uma reunião com integrantes do Comitê de Crise, inclusive, com assento do governador Waldez Góes. A reunião ocorreu a portas fechadas.

 

De lá o ministro seguiu para o Palácio do Setentrião onde uma reunião geral de avaliação seria realizada no sentido de atualizar as informações sobre o apagão e as medidas já adotadas. Somente após isso o ministro, que pernoita no Amapá, falaria com a imprensa, mas sem horário definido.

 

A vinda do ministro ocorre dois dias depois do segundo apagão que deixou 13 dos 16 municípios do estado às escuras. O blecaute ocorreu na noite de terça-feira (17). A carga de 80% que o sistema opera momentaneamente só voltou a ser fornecida na madrugada de quarta-feira (18).

O Amapá entrou no 17º dia de racionamento elétrico com prejuízos que ainda estão sendo contabilizados. A Bancada Federal, em Brasília, tenta buscar fundos econômicos compensatórios para garantir auxílio às famílias e setor de comércio que acarretam prejuízos com o apagão.

 

A eleição em Macapá, que foi suspensa por insegurança causada pelo apagão, foi confirmada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE/AP) para os dias 6 e 20 de novembro.

 

Na tarde desta quinta-feira a 2ª Vara Federal Cível do Amapá determinou o afastamento da atual diretoria da Aneel, além dos diretores do Operador Nacional do Sistema (ONS) por 30 dias.

Na decisão liminar o juiz federal João Bosco Costa Soares diz que a medida é necessária para impedir qualquer tentativa de interferência por parte dos gestores nas investigações que apuram responsabilidades sobre o caso.

 

O magistrado ainda declara que a Aneel, a empresa Linhas de Macapá Transmissora de Energia (LMTE) e o Operador Nacional do Sistema tiveram atuação negligente na manutenção dos transformadores da subestação Macapá.

 

A Aneel declarou que ainda não foi formalmente notificada da decisão, mas assim que isso ocorrer ingressará com recurso para derrubar a liminar.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *