Política

MP-AP fortalece canais de capacitação em parceria com a Marinha do Brasil e a Escola Superior de Guerra

O encontro resultou numa ampla discussão sobre a necessidade de estimular estudos estratégicos na região de fronteira amapaense e o aprimoramento dos canais de capacitação com o MP-AP.

Compartilhe:

Dentre as atividades externas realizadas pela procuradora-geral de Justiça do Ministério Público do Amapá (MP-AP), Ivana Cei, que esteve em Brasília nos últimos dias, foi realizada na terça-feira (13), na sede do Comando do 7º Distrito Naval, uma visita ao comandante de Operações Navais, Almirante de Esquadra Alípio Jorge Rodrigues da Silva, com a presença, também, do Comandante  do  7º  Distrito  Naval,  vice-almirante Carlos Eduardo Horta e do comandante da Escola Superior de Guerra (ESG), Almirante de Esquadra Wladmilson Borges de Aguiar. O encontro resultou numa ampla discussão sobre a necessidade de estimular estudos estratégicos na região de fronteira amapaense e o aprimoramento dos canais de capacitação com o MP-AP.

Estavam presentes, ainda, o presidente da Associação dos Membros do MP-AP (AMPAP) e titular da 1ª Promotoria de Justiça da Infância do Município de Santana, promotor de Justiça José Cantuária Barreto, e o comandante da Força de Submarinos, Contra-Almirante Thadeu Marcos Orosco Coelho Lobo.

Durante a conversa, a PGJ Ivana Cei, diplomada pela ESG, reforçou o pedido para que a instituição mantenha a participação de membros do MP-AP, que vem ocorrendo desde 2011, nos seus cursos de formação, o que foi, de pronto, assegurado pelo comandante Wladmilson, além da possibilidade de capacitação para membros e servidores.  Os membros do MP-AP discorreram sobre a carência na oferta de vagas para pesquisadores interessados em conhecer a realidade transfronteiriça.

A partir do pleito dos promotores amapaenses, o Comando da ESG sinalizou para a possibilidade de criação, pela Escola, de vagas de mestrado e doutorado, vocacionados à pesquisa sobre os inúmeros desafios impostos à sociedade na vasta região Amazônica, notadamente, o Estado do Amapá.

“Vamos continuar esse diálogo e ampliar a busca por parcerias que possam nos ajudar a viabilizar esse projeto. Precisamos investir na pesquisa. Não tem como avançar sem a base do conhecimento científico”, defendeu Ivana Cei, que também é pesquisadora, doutoranda em Direito pela Universidade John F. Kennedy, e mestre em direito ambiental e Políticas Públicas pela Universidade Federal do Amapá (Unifap).

Fortalecimento dos canais de capacitação do MP-AP e ESG

O assunto voltou a ser debatido nesta quinta-feira (15), quando a PGJ, acompanhada pelo ouvidor do MP-AP, promotor de Justiça Paulo Celso Ramos, ambos diplomados pela Escola Superior de Guerra (ESG), estiveram na sede da instituição, no Rio de Janeiro (RJ), e foram recebidos pelo subcomandante da Escola, Brigadeiro Leônidas de Araújo Medeiros, e pelo chefe do Departamento de Relações Institucionais, Almirante Gilberto Lourenço.

“Estivemos aqui hoje, eu e o promotor Paulo Celso, para darmos seguimento e efetividade nas tratativas iniciadas em Brasília. Também queremos ter a honra de ver implantada no Amapá a Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG), para reunir esforços de todos os integrantes da ESG na região para viabilidade e apoio aos desafios enfrentados no nosso Estado, com qualificação e conhecimento estratégico. O MP-AP tem se destacado em muitas áreas, graças a interlocução com as mais diversas instituições, desde que o objetivo seja o mesmo: fortalecer e profissionaliza a atuação”, disse a procuradora-geral.

Ivana Cei discorreu, especialmente, sobre os desafios atuais impostos pelo quadro da pandemia de Covid 19. “O mundo nos obriga a uma mudança de atitude. Precisamos buscar, a cada dia, mais informações e conhecimento sobre as nossas realidades. Poder contar com as portas abertas da ESG ao nosso MP-AP é, sem dúvida, muito importante, pela experiência e credibilidade das Forças Armadas. Queremos ampliar essa relação e aprimorar nossos canais de capacitação e rede de atuação estratégica institucional de forma conjunta e compartilhada, para melhor defesa de nosso território e da sociedade. Demos um importante passo. Foi, sem dúvida, uma agenda muito positiva”, comemora.

Saiba mais sobre o trabalho – de incentivo aos estudos – desenvolvido pela ESG e a ADESG

A Escola Superior de Guerra (ESG), criada pela Lei nº 785/49, é um Instituto de Altos Estudos de Política, Estratégia e Defesa, integrante da estrutura do Ministério da Defesa, e destina-se a desenvolver e consolidar os conhecimentos necessários ao exercício de funções de direção e assessoramento superior para o planejamento da Defesa Nacional, nela incluídos os aspectos fundamentais da Segurança e do Desenvolvimento.

A ESG funciona como centro de estudos e pesquisas, a ela competindo planejar, coordenar e desenvolver os cursos que forem instituídos pelo Ministro de Estado da Defesa. A Escola não desempenha função de formulação ou execução da Política do País. Seus trabalhos são de natureza exclusivamente acadêmica, sendo um foro democrático e aberto ao livre debate.

A ADESG foi fundada em 7 de dezembro de 1951. Trata-se de uma sociedade civil, sem fins lucrativos, de duração ilimitada. Considerada de utilidade pública por Decreto, em 21 de outubro de 1954, com a missão de congregar os diplomados da Escola Superior de Guerra (ESG) e vivificar a solidariedade de seus integrantes, estimulando a continuidade de estudos e pesquisas, por meio de congressos, seminários, painéis temáticos e um vasto cronograma de intercâmbio de conhecimento.

 
Compartilhe:

Tópicos:  

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *