Última hora Polícia Política Cidades Esporte
Política

Parlamento reabre ao público, mas acesso ao plenário será mais rigoroso, anuncia ALAP

Desde o início da pandemia, Legislativo adotou formas remotas e depois híbridas para as reuniões deliberativas seguindo normas sanitárias.


Cleber Barbosa
Da Redação

 

Após quase dois anos de pandemia do Covid-19, as reuniões deliberativas dos deputados estaduais foram retomadas, mas a Assembleia Legislativa do Amapá (ALAP) anuncia medidas para restringir o acesso ao plenário da Casa. Em comunicado, a ALAP apresentou um pacote de medidas que delimitam novos espaços para a atuação tanto de assessores parlamentares como da imprensa.

 

O planejamento ficou a cargo do Gabinete Militar daquele Poder Legislativo, em atenção a segurança de todos que acessam o prédio da Assembleia Legislativa em dia de sessão. Eles organizaram uma reunião com todos os chefes de gabinetes, diretor de comunicação e diretor do legislativo, para tratar das diretrizes quanto ao acesso às dependências da Casa.

 

O Ato da Mesa nº 004, de 29 de agosto de 2019 é a referência normativa, onde estão descritas as diretrizes do acesso às dependências do prédio nos dias de sessão, em que há um fluxo maior de pessoas que vem até a Casa acompanhar presencialmente os trabalhos.

 

Segundo o chefe do gabinete militar, tenente-coronel Clebson Castro, será intensificado o controle de acesso nos espaços restritos, como ao plenário. “A assessoria de imprensa acompanhará as sessões da galeria, no espaço reservado para este fim. A assessoria ao parlamentar será feita pelos servidores da diretoria legislativa e diretoria de comunicação”, diz a nota da ALAP distribuída pelo setorial de comunicação social e disponibilizada no portal institucional.

 

Ainda de acordo com o comunicado, essas mudanças são necessárias para que a segurança dos parlamentares, dos que trabalham e dos que visitam a Casa de Leis seja realizada com eficácia e eficiência. “A presidência da Assembleia Legislativa tem buscado oferecer um local que permita acesso a todas as pessoas”, encerra a manifestação do Legislativo.


Comente