Política

Petrolíferas assinam cooperação para financiar diagnóstico amb

Com o governo do Amapá


Compartilhe:

 

As empresas que arremataram os 14 blocos de exploração de petróleo na bacia da foz do rio Amazonas assinaram Termo de Cooperação no valor aproximado de R$ 268 mil com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Amapá (Fapeap), órgão vinculado ao governo do estado, para o desenvolvimento de um diagnóstico ambiental que objetiva garantir o licenciamento ambiental das corporações.

A diretora presidente da entidade, Mary de Fátima Guedes, explicou que o diagnóstico será elaborado a partir de pesquisas de campo realizadas por 20 profissionais do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá (Iepa) e da Universidade do Estado do Amapá (Ueap). “O valor será investido nessa pesquisa, para dar subsídios aos profissionais que irão elaborar o diagnóstico”, disse.

Segundo ela, o diagnóstico vai permitir a elaboração do Estudo Ambiental de Caráter Regional, que vai garantir a retirada da licença ambiental no Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para as empresas BP Energy do Brasil LTDA, Queiroz Galvão Exploração e Produção S.A e Total E&P do Brasil LTDA. “Essa análise vai subsidiar os processos de licenciamento ambiental para os blocos exploratórios”, ressaltou.

A contratação dos pesquisadores para a execução das atividades foi realizada através de participação com propostas em chamada pública divulgada no site da Fapeap.

A Bacia da Foz do Rio Amazonas estende-se ao longo da costa do Estado do Amapá e da Ilha de Marajó (Pará); e tem potencial para descoberta de petróleo e gás combustível. Com o início da exploração, o Estado será beneficiado com os royalties da produção que serão investidos nos municípios que possuem as suas costas marítimas afetadas pelas pesquisas e exploração de petróleo.

 
Compartilhe:

Deixe seu comentário:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *